O momento glorioso da decisão.

Cada momento de decisão é também um momento de glória.

Que seria de nós se não tivéssemos que tomar nenhuma decisão? E se tudo na nossa vida estivesse definido, e nós fossemos seres sem qualquer discricionariedade? Ainda bem que a nossa realidade não é essa.

Cada momento de decisão difícil, sentimos a ansiedade e o medo das consequências. É a dúvida que navega de braçadas na nossa mente, mas temos que ter em conta que estamos diante de um momento glorioso de decisão, um momento nosso, o mundo humano do possível.

Confiança:

Não temos que temer as encruzilhadas. Bom senso, bastante juízo e a confiança no Deus da sua crença, pode ser o bastante para que o caminho escolhido seja adequado, promissor, e também livre do perigo.

Por vezes desejamos nos livrar das decisões difíceis, nos estressamos, fazemos até menção de fugir às nossas responsabilidades, mas isso tem que ficar de lado.

Coragem não é ausência de medo, mas sim, a capacidade de agir a despeito do medo.

O que nos ajuda um bocado ao trilhar os caminhos tortuosos e assombrados, é trabalhar a insegurança. Ter mais confiança em si mesmo e se desapegar de tanta expectativa de todos e de si mesmo.

A nossa vida é assim, algumas decisões são difíceis e tememos o arrependimento, outras tantas são fáceis e até nos descuidamos na hora de decidir, mas temos que estar compenetrados, cientes de que estamos decidindo a nossa vida.

Serenidade:

Viva com serenidade, e se renda àquilo que não tem nenhum controle.

Aceitação não quer dizer resignação ou mesmo complacência, mas simplesmente admitir que não podemos tudo, e assim mesmo a vida é maravilhosa.

Sei que não preciso me preocupar tanto com o meu futuro, aprendi a me desapegar das coisas, pois sei que tudo é passageiro. Não tenho nenhuma garantia de que terei o que desejo, mas sei que posso escolher ser feliz ainda assim.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta