O medo aprendido.

A despeito dos nossos medos gravados no nosso DNA, seguimos aprendendo novas maneiras de medo.

Temos que ficar atento para evitar que a mala tão cheia de medo nos impeça de viajar nessa jornada da vida.

O medo pode nos paralisar, e a vida não é assim tão perigosa.

Aprendemos a ter medo de não ser aceito, de passar vergonha, de não dar conta do recado.

Esse aprendizado às avessas pode muito bem ser resultado de como enxergamos as nossas falhas.

Temos medo de fazer alguma coisa, como dirigir, ou falar em público, e ficamos fugindo indefinidamente. Mas na verdade, o remédio e fazer, enfrentar o medo, agir, a despeito do medo.

Se somos frequentemente inundados por pensamentos que nos levam ao medo, temos que buscar outros pensamentos que os desafiem.

O medo aprendido:

O medo aprendido é aquele que não nos é natural, mas cultivado seguidamente por meio de comportamentos inadequados, que perpetuam e amplificam o medo.

Desafie aquela voz interior que insiste em te colocar medo. Faça-a calar por um momento e você vai sentir a coragem pedir passagem.

Não peça para o medo desaparecer, mas faça algo para que a própria coragem cresça e se sobreponha ao medo.

Dê espaço para a coragem, estimule e alimente.

Tenha sempre em mente as ocasiões no passado onde a sua coragem foi capaz de sobrepujar o próprio medo.

Esse processo de desaprender o medo é passo a passo. Não espere que a transformação ocorra de um dia para o outro, mas entenda que isso é possível.

Pare de reclamar, pare de culpar e se culpar e olhe a vida com mais otimismo, e assim vai alimentar a coragem.

Seja corajoso apesar do medo. Não deixe o medo te dominar. Não deixe o medo te paralisar.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta