O lixo indesejável que os outros colocam na nossa mochila

O lixo indesejável que os outros colocam na nossa mochila

Impressionante como deixamos que botem lixo na nossa mochila, nos sentimos pesados, incomodados e acabamos não fazendo nada para prevenir ou corrigir.

Estamos sempre nos preocupando com problemas que não nos dizem respeito, reagindo de maneira desproporcional a coisas que não tem grande importância.

Se continuarmos carregando um fardo de entulho que não são nossos e não vão nos ajudar em nada na caminhada da vida, podemos não chegar onde queremos chegar, além de estarmos sempre esgotados com tanto peso.

Caminhão de lixo:

David J. Pollay, aborda isso com muita desenvoltura no seu livro:The Law of the Garbage Truck – a lei do caminhão de lixo.

Diz ele, que aprendeu a lição que ensina no livro de um motorista de táxi em Nova Iorque. Este reagia com serenidade e cortesia às agressões diárias no trânsito frenético daquela metrópole.

Dizia o sábio motorista que muitas pessoas são como caminhão de lixo. Aceitando todo tipo de agressão, reagindo e revidando e com isso permitindo que essa carga negativa se acumulasse no seu caminhão.

Se você levar a sério, você está deixando que o lixo se acumule na sua caçamba. Se você sorrir e deixar passar, o lixo não vai se somar à sua carga.

David assumiu que a sua missão é divulgar essa mensagem, o que faz no seu site.

O autor também posta coisas interessantes no seu blog:

Resumindo, não deixe que outros controlem sua vida especialmente enfiando lixo na sua mochila.

Você pode não estar em condição de lidar com a situação completamente, mas a decisão de deixar o lixo se acumular nas suas costas, é sua mesmo.

A reação às situações está sob seu controle. Trabalhe isso.

O tempo que essa irritação fica na sua cabeça é decisão sua. Aprenda a lidar com a raiva – deixe passar. Não guarde rancor. Evite as fofocas – não receba – não passe adiante.

Finalmente, não se esqueça da pergunta mágica: “até que ponto isso é importante”?

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta