O labirinto dos meus problemas.

Me vejo rodando quase em círculos.

Passo por onde já passei, volto ao ponto de partida.

Há situações onde as pessoas ficam presas num labirinto dos problemas do cotidiano, imaginam um futuro fora do labirinto, mas não conseguem fazer uma ponte, estabelecer um plano de ação para sair do labirinto.

Já comentei aqui sobre Fio de Ariadne quando escrevi sobre o crescimento permanente.

 É preciso achar um fio da meada para sair do labirinto.

Se compenetrar no dia de hoje, nas dificuldades e barreiras que tenho que sobrepujar hoje –  é um bom caminho para lidar com o labirinto.

Um dia de cada vez, podemos chegar ao destino almejado.

Se não tomamos uma atitude, levantamos a cabeça e enfrentamos os problemas, a felicidade é apenas uma ilusão fora do labirinto.

É muito importante saber que há vida fora do labirinto, mas devemos saber o que fazer para sair dele.

Às vezes percorremos os corredores de um labirinto totalmente imaginário, problemas e dificuldades que estão apenas na nossa mente.

Outras vezes, ficamos aprisionados em um labirinto do passado, situações desagradáveis, culpas e arrependimentos de coisas do passado.

Nenhum desses labirintos é real.

Temos que nos voltar para o momento atual, nos dedicarmos aos problemas reais, à vida daqui para frente.

As emoções exacerbadas não permitem que percebamos a real dimensão dos problemas. As paredes virtuais, as barreiras virtuais, todas adquirem uma assombrosa realidade para uma mente amedrontada.

Dê um passo de cada vez, você não precisa fazer tudo hoje.

Assim como no jogo de videogame, você precisa atacar uma dificuldade por vez, ao eliminarmos uma, passamos para outra. Eliminamos várias e passamos para a fase seguinte.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta