O jardineiro feliz.

Outro dia li uma metáfora interessante sobre a jardinagem e a vida propriamente.

Aprendi que o jardineiro feliz é aquele que assume a sua responsabilidade por aquilo que lhe cabe no jardim:

-afofar a terra;

-adubar;

-semear;

-estaquear;

-podar;

-retirar as ervas daninhas e assim por diante.

Feliz:

É feliz também porque aceita o fato de que muitas coisas estão fora do seu controle:

-fazer chover;

-fazer brotar;

-fazer florir;

-fazer frutificar.

Ele é feliz porque aceita principalmente os resultados que a natureza lhe proporciona.

Algumas sementes brotam e outras não, e isso acontece a despeito do cuidado igualmente dedicado a cada uma delas.

Elas também brotam no seu tempo, e algumas ficam para trás no tempo.

Não adiante ficar impaciente, cutucando a terra, como se fosse possível apressar a germinação.

Assim é a vida – muito parecido com um canteiro, e nós mesmos os jardineiros.

Podemos até desejar que as coisas sejam diferentes, mas em alguns casos é inútil esperar que sejam diferentes.

O dia não vira noite e a chuva certamente vai irrigar, vai molhar.

Temos que aceitar a natureza das coisas, a natureza da natureza.

Serenidade:

E para isso, vale muito recitar a oração da serenidade.

Temos que assumir a responsabilidade sobre a nossa vida.

Fazer o que tem que ser feito é a nossa parte, é o nosso dever.

Não devo me esconder daquilo que cabe a mim fazer. Tenho que fazer a minha parte e aceitar os resultados.

Espere o esperável, e faça você mesmo o que se espera.

Seja um jardineiro feliz, cuidando do jardim da sua vida.

Beco

1 Comentário

Lucia Hartmann Fraga Moreira dos Santos

about 6 anos ago

Lindo post sobre a responsabilidade sobre nos mesmos,nosso bem estar e nossa vida!!!=)

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta