O interminável ensaio mental.

Tem que fazer algo de que não gosta.

Tem que decidir algo difícil.

Tem que falar com alguém sobre um assunto desagradável.

Fazemos um interminável ensaio mental e cada vez gostamos menos do que temos que fazer.

Se a decisão não é para agora, veja se dá para pensar nisso depois, quando for a hora certa. Não fique ruminando algo que só vai acontecer daqui a duas semanas.

Se discipline em pensar bastante nas seguintes situações:

-É algo positivo que vai acontecer ou mesmo algo que já aconteceu.

-Quando for para contra argumentar os seus próprios pensamentos negativos sobre alguma situação, pessoa ou acontecimento.

-Quando for para falar com alguém, pedir ajuda, pedir um conselho.

-Quando for para pegar uma folha de papel, uma caneta e colocar tudo por escrito – isso ajuda.

Algumas dicas para se livrar desse interminável ensaio mental, ou pelo menos amenizar o sofrimento.

-Escreva no papel o que vai decidir, os pros e contras, os desdobramentos, as conseqüências – dobre e guarde para quando for a hora certa.

-Se concentre no momento presente, no que está fazendo, nas coisas que tem que fazer e decidir agora.

-Confie na sua capacidade de agir e decidir quando chegar a hora.

-Procure companhia, ou mesmo falar com alguém por telefone, e que não seja sobre o assunto interminável na sua mente – fale de amenidades.

Dizem que ao ensaiarmos excessivamente, mentalmente, as questões desagradáveis e difíceis que temos que enfrentar no futuro, acabamos nos afastando da solução adequada.

Chega uma hora que a mente roda em círculos. Pensar mais, não leva necessariamente para a melhor solução.

Deixe a mente se acalmar. Se concentre no presente.

Pratique qualquer forma de meditação.

Busque a serenidade.

Lembre-se – você pode pedir ajuda.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta