O equilíbrio e a harmonia

A harmonia e o equilíbrio são muito importantes para que aproveitemos a vida plenamente.

Quando vivemos os extremos, estamos sempre estressados com os perigos com a sobrevivência.

A harmonia significa a paz com tudo e com todos, e não quer dizer complacência, ou conformismo. Quer dizer simplesmente aceitar o que está fora do nosso controle e conviver harmoniosamente e pacificamente com o mundo que nos é oferecido.

Deixe a serenidade te visistar:

Precisamos permitir que a serenidade  nos visite para que o nosso cérebro resista à tentação para ir aos extremos.

Quando somos agredidos verbalmente, o nosso cérebro emocional aciona rapidamente o nosso modo de ataque ou fuga. Se não fizermos nada, isso pode nos complicar. Podemos perder o equilíbrio, partir para a agressão física, ou mesmo dizer coisas das quais vamos nos arrepender.

Muitas vezes nos ferimos inexplicavelmente ou mesmo nos desentendemos com pessoas do nada. É sinal de que não estamos em harmonia. Estamos de uma maneira ou de outra, perturbados, estressados, e precisamos fazer alguma coisa para sair desse estado prejudicial para a nossa saúde, e que nos coloca em risco.

A temperança, que nos coloca no caminho adequado, fugindo desnecessariamente das corredeiras e das pistas escorregadias é uma virtude que temos que nutrir.

Pode parecer lógico que o caminho do equilíbrio é o mais adequado, mas o estresse cotidiano nos desvia desse caminho, e muitas vezes cometemos excessos.

Pense antes de agir:

Precisamos cultivar o hábito de pensar um pouco antes de agir, especialmente quando estamos pressionados.

A pressa nos empurra para resolver o curto prazo de maneira inadequada, nos colocando em enrascadas no meio prazo, e comprometendo o nosso futuro.

A jornada é longa e temos que manter a calma nos momentos de perigo, e é bom lembrar que o estresse envenena os relacionamentos.

Não perca a cabeça, não coloque tudo a perder. Procure o equilíbrio mesmo com puxões e empurrões para todos os lados.

Esteja em harmonia com todos e consigo mesmo.                                                                                            Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta