O caráter se constrói no dia-a-dia.

Ainda que tenhamos herdado muita coisa dos nossos ancestrais, a sorte genética não cuida de nos dar um caráter digno de orgulho.

É preciso construí-lo no dia-a-dia.

A aprendizagem vem do lidar com as dificuldades que a vida nos impõe.

Como diz um adágio antigo, as adversidades moldam o caráter. É lidando com as bolas quadradas que recebemos é que aprendemos a ser uma melhor pessoa.

Isso não acontece de repente.

Não adquirimos um caráter assim como adquirimos uma casa nova.

É uma tarefa para a vida toda.

É também uma tarefa nossa, educar e guiar os pequenos para se tornem adultos íntegros, positivos e resilientes.

Não raro nos preocupamos em adiantar-lhes algumas lições que a vida pode ensinar. Enfim, queremos que eles aprendam sem muito sofrimento, mas a realidade é que o sofrimento traz as lições – assim acontece com todos nós.

Certa feita, li uma lista de lições que passamos para as crianças para ajudá-las a formar um caráter digno.

Aquelas que mais me marcaram são as seguintes:

-Devo aguardar a minha vez, ser educado, pedir por favor e dizer obrigado.

-Eu não desisto; eu continuo tentando até conseguir.

-Como eu pareço não é tão importante quanto como eu ajo.

-Eu trato os outros como quero ser tratado.

-É bom rir das coisas engraçadas, mas não rir dos outros.

-Todas as pessoas têm sentimentos bons e ruins.

-Sou honesto, não roubo nem trapaceio.

-Sou uma pessoa legal, jogo uma partida justa, sigo as regras e sou flexível.

-Eu trato todos com respeito.

-Eu encorajo todos a darem o melhor de si.

-Cada dia é uma oportunidade para fazer o meu melhor.

-Eu tento aprender uma coisa nova a cada dia.

-Quando estou com raiva, eu me controlo para não magoar os outros.

-Ser agradável e boas maneiras ajudam a manter as amizades.

-Sou como sou – não vou tentar ser outra pessoa.

-Eu digo a verdade – os meus amigos acreditam em mim.

-Quando coopero com os outros, consigo fazer mais coisas.

-Eu olho as coisas boas nas outras pessoas e digo isso a elas.

Passe adiante.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta