O botão da perfeição

Botão da perfeiçãoSe existisse e você tivesse acesso ao botão da perfeição, e que você pudesse apertar e fazer sumir o seu principal defeito, aquele que mais te incomoda, reflita sobre a seguinte pergunta:

Você apertaria esse botão?

Temos todos nós uma inclinação natural para o perfeccionismo, o que nos leva a uma falta de aceitação de nós mesmos.

Não aceitar a si mesmo é autoestima baixa, falta de amor próprio.

Não quer dizer que não identificamos pontos de melhoria e nos esforcemos a corrigir o que está ao nosso alcance. Isso tem que ser o nosso empenho diário.

Por outro lado, há coisas em nós mesmos que não conseguimos mudar e gostaríamos de ter um botão que nos concedesse essa dádiva.

Um ponto importante é aceitar os defeitos que temos e que podemos melhorar, o que significa o primeiro passo para permitir que tal mudança se processe para melhor.

No entanto, temos que aceitar como nós somos, naquilo que não conseguimos mudar. Assim nos permitimos amar a si mesmo como fomos concebidos, como a natureza nos fez.

Recomendações de Dr. Kristin Neff:

Algumas recomendações sobre aceitação que aprendi com a dra. Kristin Neff, professora da Universidade do Texas-Austin.

Primeiramente, identifique uma característica em si mesmo que te envergonha e te faz insegura. Foco em algo que te faz pensar que você não é boa o bastante. Imagine qualquer coisa, seja da sua personalidade, comportamento, habilidades, relacionamentos ou outro setor da sua vida.

Escreva sobre isto, descreva porque isso te deixa triste, constrangida ou mesmo com raiva. Seja honesta, e se dê conta que ninguém vai ler o que você está escrevendo.

O próximo passo é escrever uma carta impregnada de compaixão para si mesmo, mostrando compreensão e aceitação daquilo que você escreveu como defeito. Simplesmente imagine que há alguém que te ama incondicionalmente, exatamente do jeito que você é. O que essa pessoa diria sobre esse seu defeito?

Ninguém é perfeito:

Lembre-se que ninguém é perfeito, e que temos que lidar com os nossos ditos defeitos, e que há no mundo inúmeras pessoas que passam pela mesma situação. Considere também que aquilo que você considera defeito pode ser algo genético e que você em nada contribuiu para que assim fosse.

De maneira gentil consigo mesmo, se pergunte se há alguma coisa que está ao seu alcance fazer para lidar melhor com esse aspecto negativo que você se referiu.

Leia tudo que você escreveu de vez em quando, e vai te fazer bem. Aprenda a se aceitar e a se tratar com amor e gentileza.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta