O amor não é um luxo.

Não podemos viver sem amor, e temos que descarta de vez a ideia de que o amor é um luxo, pois ele é uma necessidade, não podemos viver sem ele.

O amor é nutrição, é o ar que respiramos. Não há uma só pessoa que dispense o amor.

Damos o máximo de valor ao amor, mas nos esquecemos dele no dia-a-dia.

A correria nos coloca em piloto automático e acabamos muito econômicos no amor às pessoas caras do nosso convívio, e especialmente consigo mesmo. Nos deixamos de amar, desligamos de si mesmo, e desligamos o nosso coração.

Sem amor, adoecemos:

Pare de dar amor a uma pessoa, e ela pode adoecer.

Não se pode fazer experimentos com humanos, mas os animais testados que foram privados de amor e carinho adoeceram e morreram precocemente.

Quando crianças nos mostramos carentes e exigimos amor e atenção dos adultos, mas ao crescermos, acabamos confusos, se não embrutecidos com as dificuldades da vida. Isso pode nos fazer mal, ao corpo e ao espírito.

O amor não é uma opção, um luxo adicional que desejamos na vida. O amor é uma necessidade, não podemos viver sem ele.

Quando a mãe dedica amor ao bebê, ela está florescendo biologicamente e emocionalmente esse pequeno ser.

Não fique esperando pela sua cota justa de amor. É preciso dar para receber. O amor não e loteria, nem herança.

Não desista:

Não desista, ainda que o mundo lá fora seja impregnado de inveja e cheio de pessoas interesseiras.

Não deixe que uma pequena coisa negativa venha a eclipsar tanto amor que há para dar e receber.

O desamor e a decepção amorosa não deve justificar a abdicação de amar e receber amor.

Encontre aquela menina dentro de você que ainda acredita que o amor é uma necessidade. Aquela pessoinha que quer o amor incondicional, e que sabe retribuir da mesma maneira.

Assuma a atitude de temperar com amor os relacionamentos mais casuais, mesmo aqueles administrativos, do trabalho, do cotidiano.

Dê amor, valorize, e receba com gratidão.                                                             R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta