O amor cura.

Trate as pessoas com amor, pois ele é capaz de curar, fazer milagres.

Quando somos tratados com amor, melhoramos a nossa imunidade, nos livramos de doenças, reduzimos o estresse.

Vamos fazer esse bem também aos outros, tratar com amor, dedicar o amor aos entes queridos, amigos e familiares.

É muito confortável viver num ambiente onde o amor impera, pois ele expulsa a raiva e os ressentimentos. O amor também se antagoniza com a inveja e a ganância.

Tratar os doentes com amor:

Pensamos sempre em tratar os doentes com amor, pois sabemos o seu poder de cura, mas devemos tratar também aqueles que estão saudáveis. O amor tem que ser o modo operacional padrão.

Quando abrimos o nosso coração, deixamos cair tantos sentimentos tóxicos, que nos sentimos leves e saudáveis. Temos que aprender a gostar dessa sensação e fazer um esforço adicional para que esse seja o nosso comportamento, sempre.

Dizem que as emoções orquestram constantemente uma atuação conjugada e sinfônica dos hormônios, e que em suma, definem muito do nosso estado de saúde, nos aspectos positivos e também negativos.

Ame a si próprio, como se estivesse se alimentando naturalmente. O amor é um sentimento puro, e por isso um alimento puro para o espírito, e também para a sua saúde física.

A sensação de bem-estar é provocada pelo hormônio do afago, a oxitocina, que é gerado nas interações, e melhora a sua saúde vascular e aumenta a sua imunidade.

O amor cura:

O amor reduz a inflamação no organismo, reduz a ansiedade e estresse, e por isso é tão propalado como a cura para muitos males.

Se relacione com as pessoas de coração, se entregue e receba as pessoas de coração aberto.

Ame a vida abundante que te cerca, e dê graças por tudo que tem recebido. Viva em estado de graça, e a sua saúde também será melhorada.

Se ligue nas pessoas, não se isole, e dê motivos para as pessoas te amarem. Se deixe amar. Se dê mais nos relacionamentos.

Esteja próximo das pessoas que ama.                                                                     R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta