Não vou reclamar.

Não quero começar o meu dia reclamando. Sei que não devo carregar de emoções negativas o dia que está apenas começando.

Não estou satisfeito com muita coisa na minha vida, mas a minha insatisfação não representa uma barreira para que eu me determine a ter uma vida melhor.

Quero me esforçar e assumir a responsabilidade sobre os eventos da minha vida, a despeito de toda imprevisibilidade que sei, é presente.

A vida é uma benção, e ver o sol nascer, soberbo e generoso, é uma graça de Deus.

O coração agradecido:

Não quero reclamar de nada, e simplesmente seguir a vida com o coração agradecido.

Na prática, aprendi que a atitude grata é também o caminho para receber mais.

Não espero coisas fenomenais e nem uma vida apoteótica, embora tenha desejado tanta coisa quando era mais jovem.

A vida me ensinou a seguir com alegria, mesmo quando as expectativas não se concretizam, e mais do que tudo, aprendi o significado da aceitação e resignação.

Resignação é abaixar a cabeça e desistir de pronto. Aceitação é seguir de cabeça erguida, mas sem prepotência, com honestidade e generosidade consigo mesmo, principalmente quando as coisas não acontecem conforme as minhas expectativas.

Aceito a vida, e sobretudo, aceito a mim mesmo, e não quero me culpar e reclamar daquilo que não consegui, qualquer que seja o motivo.

Emoções negativas:

As emoções negativas podem contaminar tudo de positivo que tenha planejado e imaginado para o dia de hoje, e quero evitar isso.

A minha responsabilidade é com a minha felicidade, e cuidar de mim mesmo é o que tenho que fazer.

Reclamar de tudo é uma perda de tempo e um desperdício total de energia. Isso também contamina o ambiente e afasta as pessoas do nosso convívio.

Quando vejo pessoas felizes, noto que elas não ficam reclamando, e acredito realmente que isso funciona.

Quero ser como elas, sem inveja, sem mimetização, mas simplesmente porque acredito.

Eu acredito na felicidade.                                                                                                  R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta