Não tenha medo de ir devagar.

Tenha paciência consigo mesmo, e nem tudo acontece do dia para a noite.

O pior é ficar parado, esperando alguma coisa acontecer.

A coisa mais comum no nosso cotidiano é dar tudo de si e ter que aguardar o transcorrer dos acontecimentos.

Preenchemos o currículo, comparecemos às entrevistas de emprego, fazemos o nosso melhor, mas temos que aguardar pacientemente os resultados.

Nos preparamos o ano inteiro para o vestibular, realizamos as provas com muita atenção, mas temos que aguardar a lista de aprovados.

Paciência:

Há momentos que a vida entra num compasso de espera, como se o filme entrasse em câmera lenta, mas não tem nada de errado com isso. Temos que entender a realidade e exercitar a nossa paciência.

Não tenha medo de ir devagar, quando as circunstâncias assim exigirem.

Se imagine dirigindo numa estrada pavimentada, se desenvolvendo em boa velocidade. E de repente você tem que pegar uma estradinha de terra, com muitas curvas e lama por todo lado. Há que se ir devagar, com muito cuidado para não ficar atolado.

A estrada da vida é assim mesmo, ora vamos em velocidade de cruzeiro, ora engatamos uma marcha lenta, e não porque ficar ansioso e estressado quando isso acontece.

Culpa:

Não se sinta culpado ou mesmo desocupado, se os seus projetos entrarem numa maré baixa. Na maioria das vezes, não tem nada a ver contigo, as circunstâncias simplesmente não imprimem a velocidade desejada.

Certamente ficamos agoniados para ver o resultado rápido, mas a natureza tem o seu ritmo. Quando pegamos uma gripe, temos que esperar o ciclo do combate ao vírus. Fazemos a nossa parte, alimentando adequadamente, repousando e tomando os medicamentos, mas temos que esperar pacientemente os resultados.

Os resultados nunca são imediatos, e há sempre um período de maturação.

As respostas não vêm na mesma hora. As pessoas não atuam na medida em que são acionadas. Há todo um processo em jogo, e temos que respeitar e aceitar o ritmo.

Faça a sua parte, e tenha paciência para esperar os resultados.                                                           R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta