Não sou perfeito, mas estou progredindo.

Não há quem não fique desanimado com a vida de vez em quando.

Tanto esforço para avançar tão pouco.

Queremos na verdade uma versão 2.0 da vida, mais velocidade nas realizações, conhecer mais pessoas, concretizar mais sonhos, mas as coisas acontecem como um computador que roda no modo de segurança – lento demais.

Mas de repente paro para analisar o caminho que já percorri, o quanto já progredi, o quanto já realizei, e não há como evitar a sensação de plenitude e gratidão.

Do fundo do coração:

Eu sou uma pessoa bastante pobre financeiramente, pelo meu padrão de estudo, emprego, carreira e realizações profissionais. Às vezes isso chega a me incomodar de vez em quando. Tenho que trazer do fundo do coração.

Por outro lado, a vida foi para mim uma mãe prodigiosa. Fui brindado com oportunidades para conhecer, aprender e experimentar que mal acredito, tenha acontecido comigo mesmo.

Fui agraciado com um temperamento e perseverança, e tenho sido a melhor companhia para mim mesmo nos momentos de extrema dificuldade.

Tive meus momentos de sentar no chão e chorar feito menino pequeno. Fui encorajado por essa pessoa que tenho dentro de mim, que, iluminado pela Força Superior, foi capaz de enxergar os progressos que fiz.

Há momentos que não enxergo progresso algum, por mais que me esforce, e ainda assim reconheço o meu empenho, a minha compenetração e diligência com a vida.

Amo a vida:

Amo tudo que consegui até aqui. Meus amigos, minha família, as lições que aprendi e o caminho que percorri.

Andei para frente, sempre, ainda que tenha olhado muito para trás para reconhecer os milímetros que caminhei desde ontem.

Um passo de cada vez, um dia de cada vez, quero ter a coragem para reconhecer e aceitar as minhas imperfeições.

Olho para o futuro com otimismo, pois sei que a vida é sempre boa, e sou feliz assim

Agora, simplesmente, é hora de enxugar as lágrimas, levantar a cabeça e seguir adiante.

Sei que não sou perfeito e dou um duro danado, mas vale à pena.

R.S. Beco

1 Comentário

Déborah

about 5 anos ago

Eu me desanimo um pouco com o meu retorno à pratica de um mal em mim, me arrependo, mas penso, estou aqui, nesta escola que é a vida, é convivendo, errando, errando de novo, que vou aprendendo, estou deixando de lado, aos poucos, este meu defeito... Obrigada, seus textos são importantes. Abraço.

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta