Não se imponha limitações que você não tem.

Não raro, nos colocamos limitações que na verdade não temos.

Não consigo.

Não tenho tempo.

Não tenho essa capacidade.

É como se entrássemos numa partida de basquete com os braços atados.

Se livre das limitações que estão somente na sua cabeça. Se você acha difícil, faça de maneira gradativa. Desafie os seus limites e você vai ver que pode mais do que pensa.

Dizem que todos nós temos crenças auto-limitantes.

Algumas limitações reais, como incapacidades físicas acabam contaminando outras áreas da nossa vida, mais por uma limitação psicológica do que por uma limitação real.

Essas limitações virtuais que impomos sem necessidade, acabam colocando um contorno psicológico que dificilmente cruzamos a não ser após um processo de auto-conhecimento profundo, por vezes com ajuda profissional.

Examine se você está projetando uma carreira realista dentro de sua empresa, ou você já está partindo de uma crença numa limitação que você não tem.

Algumas dessas crenças têm a ver com a percepção de coisas acontecendo, mas muitas dessas crenças não têm qualquer fundamento, não suportam uma análise acurada.

Os medos que nos assombram permanente também impõem sutilmente várias dessas limitações.

Algumas pessoas realizam mais que outras simplesmente porque não carregam limitações auto-impostas – acreditam em si próprias.

Você pode fazer algumas coisas para mudar, se você assim decidir.

 Andrew Leigh escreveu um texto (How to stop being your own worst critic – Como deixar de ser o seu pior crítico) que pode ser baixado na internet. Ele tem um blog – The Creative Instinct.

Escreveu Andrew que você pode (a) perguntar a alguém de confiança para te dizer se você tem talento e capacidade para seguir adiante num projeto. Tenha com essa pessoa que você respeita uma conversa sobre os seus pontos fortes e onde você poderia realizar coisas destacáveis.

(b) formule para si mesmo algumas frases que você vai completar:

-eu sou bom em fazer…..

-eu não sou bom em fazer….

-eu sou…..

-eu não sou…..

-eu nunca vou conseguir….

(c) Desafie cada pensamento expresso nas frases até entender as limitações que você está se auto-impondo.

As limitações podem ser amplas ou específicas.

Amplas – sou um incompetente.

Específicas – não sei fazer isso.

Com esforço e honestidade, podemos ultrapassar os limites virtuais, e colocando o foco nas nossas qualidades e pontos positivos, podemos realizar mais e ser mais feliz.

Beco

1 Comentário

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta