Não rumine os problemas.

Não fique tamborilando com os problemas na cabeça. Não dedique tanto tempo pensando em questões corriqueiras.

Às vezes gastamos tempo demasiado para tomar simples decisões, e nos preocupamos demais com coisas irrelevantes.

Faça alguma coisa para afastar as preocupações, mesmo que temporariamente. Saia para uma corrida ligeira. Prepare algo saudável para comer.

Pegue o telefone e ligue para alguém, não comente nada sobre problemas, procure uma conversa que possa te animar e te distrair dos problemas.

Os pensamentos negativos chamam outros pensamentos negativos – logo a sua mente está inundada.

Isto suga energia de você mesmo – é um verdadeiro buraco negro.

O contrário não acontece – experimente ficar ruminando um pensamento positivo.

Quando você pensa que vai dar errado, você fica ruminando todas as prováveis e improváveis maneiras de dar errado.

Deixe passar.

Não dê importância para um montão de coisas.

Quando você se sente estressado o dia todo – certamente está ruminando alguma coisa.

É obsessivo.

Também tem a co-ruminação, quando você leva o processo de ruminação para outras pessoas com a mesma debilidade, e o processo de ruminação se torna coletivo.

Se os problemas seguem voltando e girando em círculos na sua mente – reconheça a ruminação e adote algumas medidas para se livrar disso.

Tem efeitos na saúde, no estresse, na hipertensão, na digestão, no repouso.

Aceite o que aconteceu e passe adiante – vire a página.

Gire o foco para as coisas boas e concretas da sua vida.

Perdoe e assim vai conseguir passar adiante.

Tire a palavra “mas” das suas frases quando pensa sobre as coisas e pessoas: eu gosto de fulano, mas…/ a festa foi boa, mas……./consegui um bom emprego, mas……

Busque a serenidade, a ruminação tem muito a ver com a ansiedade.

Busque a meditação, esvaziando por um tempo a sua mente.

A depressão tem a ver com ruminação e vice versa, e em casos mais graves, é bom procurar ajuda profissional.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta