Não reclame dos seus problemas.

Enquanto ficamos reclamando dos nossos problemas, não enxergamos as soluções, e ainda, fazemos com que eles pareçam maiores do que realmente são.

Mude os seus pensamentos para mudar a realidade à sua volta. Mude as suas atitudes e a realidade vai te parecer mais favorável.

Fazemos muita tempestade em copo d’água, e criamos muitos problemas imaginários.

Olhamos com muito pessimismo e assumimos problemas que são de responsabilidade de outros.

Controle os pensamentos:

As ações podem não estar totalmente no seu controle, mas os seus pensamentos sim. Escolha os seus pensamentos dentre aqueles que estão do lado da solução. Não fique ruminando os seus problemas.

Os pequenos tropeços que enfrentamos na vida não devem atrapalhar a nossa jornada. Ao ficarmos maldizendo, procurando culpados e racionalizando excessivamente nas causa, perdemos um tempo precioso na nossa vida.

A negatividade não permite enxergar o futuro brilhante que se descortina, as oportunidades, as possibilidades.

Afaste a negatividade quando procura resolver os seus problemas, e também todos os sentimentos a ela agregadas, a inveja, a culpa, os ressentimentos.

Não siga a tendência negativa na explicação dos seus problemas, você não é o culpado, não vai durar para sempre, e você pode circunscrever o problema à sua real proporção.

Coisas erradas realmente acontecem com a gente, mas se ficarmos ruminando a lista de coisas ruins vamos perder o sabor daquilo que acontece neste exato momento, deixar de aproveitar o que a vida nos oferece de bom.

Nunca comece o dia pensando no rosário de coisas negativas da sua vida. Dê graças por tudo de bom que tem recebido, e se achar muito difícil, pense numa única coisa boa, e deixe esse pensamento positivo calibrar o tom do seu dia.

Goste de si mesmo, e pense por um momento numa característica sua que aprecia de verdade. Tenha isso em mente.

Muitos problemas que povoam a nossa mente existem apenas na nossa imaginação.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta