Não quero me iludir.

Não quero me iludir. Desejo muito da vida, mas procuro ser objetivo e realista.

Procuro não me iludir com horizontes que não são meus.

As pessoas realizam os seus próprios projetos, mas temos uma tendência a achar que temos que realizar o que os outros estão conseguindo.

Isso envolve a carreira profissional, o sucesso financeiro, casamento, filhos e assim por diante.

A própria vida:

É bom a gente se concentrar na própria jornada.

É bom não se iludir pensando que vai viver a vida do outro.

Outras tantas ilusões que dificultam a nossa felicidade tem a ver com a transposição.

Às vezes vivemos uma infelicidade na vida conjugal e nos iludimos pensando que a vida no trabalho vai dar conta de resolver o meu bem-estar.

Outras vezes, mais grave ainda, nos iludimos procurando alguma substância tóxica acreditando que ela pode resolver algum problema que nos assola.

Se iludir é, sobretudo, um ato desonesto consigo mesmo.

A vida da gente é toda conectada e o problema num setor pode contaminar outros setores.

Se esconder por detrás de alguma coisa nos dá uma falsa impressão que não estamos vendo o problema.

É uma ilusão.

Temos que encarar os problemas de frente, seja no trabalho ou em casa.

Já sabemos de antemão que não temos que resolver tudo de uma vez.

Um dia de cada vez é uma boa medida.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta