Não preciso resolver sozinho.

Ninguém dá conta de tudo sozinho e nem eu tenho que resolver tudo sem ajuda, sem apoio.

Devo procurar e aceitar ajuda, especialmente quando acho que a tarefa e a adversidade são maiores do que eu.

Todos temos o propósito de manter a autonomia e independência, mesmo no envelhecimento.

Acho que isso é saudável e adequado, pois enquanto nos sentimos no controle razoável do nosso dia, de nossas atividades, nos sentimos bem.

Ajuda:

Mas há momentos que temos que pensar na ajuda, em não querer resolver tudo sozinho.

Sempre vem o sentimento de fracasso ou fraqueza, mas devemos olhar isso com outro olhar.

Aceitar ajuda, contar com os outros é uma inclinação humana, somos seres sociais. Ajudamos e somos ajudados e assim vivemos em sociedade.

Ao cogitar a ajuda, analise cuidadosamente os sentimentos que aparecem na sua mente, e quais as razões para não prosseguir nesse sentido.

Tente desconstruir cada argumento contrário, seja da independência, perfeccionismo, vulnerabilidade, status, perda da reputação de suficiência, fofocas.

Não dispense a ajuda:

Tenho certeza que você vai conseguir passar por todos eles, concluindo que nada disso é razão suficiente para evitar a ajuda.

Agora enumere um elenco de razões positivas e vantagens para você buscar ajuda, exatamente nesse momento de dificuldade.

Certamente vai encontrar umas boas e fortes razões para caminhar no sentido da ajuda.

Temos uma ilusão de que só os fracos pedem ajuda. Os fortes fazem tudo sozinho.

Na verdade, buscar ajuda é também um ato de coragem. Tenha isso sempre em mente.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta