Não preciso resolver sozinho.

Ninguém dá conta de tudo sozinho e nem eu tenho que resolver tudo sem ajuda, sem apoio.

Devo procurar e aceitar ajuda, especialmente quando acho que a tarefa e a adversidade são maiores do que eu.

Todos temos o propósito de manter a autonomia e independência, mesmo no envelhecimento.

Acho que isso é saudável e adequado, pois enquanto nos sentimos no controle razoável do nosso dia, de nossas atividades, nos sentimos bem.

Ajuda:

Mas há momentos que temos que pensar na ajuda, em não querer resolver tudo sozinho.

Sempre vem o sentimento de fracasso ou fraqueza, mas devemos olhar isso com outro olhar.

Aceitar ajuda, contar com os outros é uma inclinação humana, somos seres sociais. Ajudamos e somos ajudados e assim vivemos em sociedade.

Ao cogitar a ajuda, analise cuidadosamente os sentimentos que aparecem na sua mente, e quais as razões para não prosseguir nesse sentido.

Tente desconstruir cada argumento contrário, seja da independência, perfeccionismo, vulnerabilidade, status, perda da reputação de suficiência, fofocas.

Não dispense a ajuda:

Tenho certeza que você vai conseguir passar por todos eles, concluindo que nada disso é razão suficiente para evitar a ajuda.

Agora enumere um elenco de razões positivas e vantagens para você buscar ajuda, exatamente nesse momento de dificuldade.

Certamente vai encontrar umas boas e fortes razões para caminhar no sentido da ajuda.

Temos uma ilusão de que só os fracos pedem ajuda. Os fortes fazem tudo sozinho.

Na verdade, buscar ajuda é também um ato de coragem. Tenha isso sempre em mente.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked