Não preciso que me peçam desculpas.

Não quero jogar a minha felicidade nas mãos dos outros.

Não dependo deles para ser feliz, e por isso quero trabalhar permanentemente o perdão.

Guardar ressentimentos e ficar sempre aguardando um pedido de desculpas é adiar indefinidamente a sua felicidade.

Quando tenho a necessidade que me peçam desculpas, também preciso de autorização para ser feliz.

Não há nada tão irracional quanto a isso. Porque tenho que pedir permissão para ser feliz?

A chave da felicidade:

Quero ter na minha mão a chave da minha felicidade.

Quero ter autonomia sobre a minha vida, e sei que para isso tenho que mudar a minha atitude.

Os relacionamentos não são como conta corrente de banco, com débitos e créditos – e queremos estar sempre com muitos créditos.

Resguardada a questão da reciprocidade, pois não queremos dar uma de capacho, devemos contabilizar de maneira muito flexível o que devo aos outros e aquilo que nos devem.

Especialmente quanto aos ressentimentos e pedido de desculpas, temos que ser ainda mais flexíveis e tolerantes.

Isso é como roupa suja que você guarda seguidamente no armário. Chega uma hora que você não quer mais entrar no quarto.

Lave a roupa suja dos relacionamentos no momento das ocorrências. Perdoe, aceite, deixe passar, e você vai seguir mais leve na vida.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta