Não me isolarei nos meus problemas.

Os problemas são muitos, eu sei.

Mas não devo juntar os problemas e me isolar com eles numa caverna.

Os problemas são de diversas naturezas. Alguns serão resolvidos rapidamente, outros levarão tempo enorme para saírem do meu radar, e outros tantos podem não ter solução.

Não devo desanimar, pois a vida é isso aí. Tenho que levantar a cabeça e fazer só aquilo que posso.

Os problemas que não posso resolver, eu tenho que encontrar um modo de conviver com eles, aceitando a minha condição humana, enfim eu não sou Deus.

Serenidade:

Buscar a serenidade deve ser a minha primeira providência, pois sei da minha experiência, que duas coisas boas vêm juntas.

A primeira, é que passo a enxergar melhor os problemas e consequentemente as soluções.

A segunda, é que a serenidade faz com que alguns problemas deixem de ser problemas, afinal tenho também o péssimo costume de fazer tempestade em copo d`água.

Assim, um passo de cada vez, vejo que sou capaz de lidar com os problemas e não preciso me isolar, carregando o saco de problemas.

É possível, até porque sou humano, que existam problemas tão espinhosos que abale o meu equilíbrio emocional.

Peça ajuda:

Aí está o momento de procurar ajuda. Pode ser um amigo, um familiar, e no caso extremo, uma ajuda profissional.

Já passei por momentos assim, e tenho idade suficiente para saber que lá no fundo, as competências e a força para não me deixar derrotar estão aqui.

A cruz que temos que carregar é do tamanho da nossa capacidade.

Se eu tenho dúvidas disso, tenho que procurar mais dentro de mim mesmo aquela reserva de energia, força e serenidade.

Sei que vai dar certo, e sei que sou capaz.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked