Não há nada de errado com você.

Não pense que há algo de errado com você simplesmente porque as coisas não acontecem conforme você espera, ou as barreiras se mostram maiores e inusitadas.

As dificuldades aparecem para todo mundo, mas temos uma tendência de achar que coisas boas acontecem para os outros, e para nós, foram reservadas pistas escorregadias, pedregulhos soltos pelo caminho e marimbondos enfurecidos.

Nada disso, e não há nada de errado com você. Escreva isso num papel e deixe na sua mesa de trabalho para ser lido todas as manhãs antes de começar a sua jornada diária.

O mundo cor de rosa:

Algumas pessoas veem o mundo totalmente cor de rosa, e outras enxergam apenas as nuvens e não se dão conta do sol que brilha acima delas.

Não precisamos ser nem um tipo e nem outro. O meio termo é sempre uma boa pedida.

Nem tudo e bom e nem tudo é ruim. Temos dificuldades, mas no final vamos nos alegrar e nos divertir. A vida vale à pena em tudo que ela nos oferece.

Quando estamos em dificuldades, subindo uma montanha, procurando por uma oportunidade, tem sempre aquela vozinha que sussurra: caminhe mais um pouco, tente aquele caminho, olhe por cima daquela montanha, procure por trás daquele arbusto.

Animo:

Precisamos ouvir mais essa voz de animo, encorajamento e perseverança.

Queremos sinais de que estamos no caminho certo, e é preciso estar com a mente aberta para enxergar os sutis sinais da vida.

Não temos a todo momento alguém perguntando: Beco, o que vai te fazer mais feliz?

Esta reflexão acontece no seu íntimo especialmente quando estamos conscientes do nosso caminho, donos da situação, no comando da nossa embarcação.

Eu sou o que sou, e a vida é isso aí. O que vai me acontecer nesta vida depende bastante da minha responsabilidade pelas minhas decisões e ações. A vida é minha e de mais ninguém.

E mais uma coisa: não há nada de errado com os outros também.

Assim como nos aceitamos em meio às circunstâncias, devemos aceitar os outros também.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta