Não fique triste por se sentir triste.

Não fique triste só por estar triste. Aceite suas emoções, e deixe a dor passar. Deixe o desconforto ir embora.

Especialmente os meninos foram criados com o cuidado de esconderem suas emoções, e isso dá a eles(nós), um legado triste, de reprimirem as emoções e consequentemente lutarem com elas, seja boas ou más, alegres ou tristes.

Nos ensina Haim Ginott, psicólogo que lecionou na Universidade de Columbia, que não devemos desprezar as emoções dos pequenos, minimizando, depreciando, pois eles acabarão aprendendo a fazer o mesmo, com sérios prejuízos para eles mesmo.

Criança triste:

Quando uma criança chora e emburra por conta de uma coisa pequena, diz Ginott, temos uma tendência imediata de minimizar: “mas você está chorando só por conta dessa coisinha sem importância?”

Ao nos comportarmos sucessivamente dessa maneira, estamos ensinando o quanto é desprezível expressar as emoções, e qualquer pessoa é capaz de aprender a esconder as emoções.

Portanto, se você aprendeu esse hábito horrível, é hora de desaprender. Não fique triste por se sentir triste, e por motivo nenhum se despreze, ou mesmo se sinta fraco, frágil ou indefeso.

Os sentimentos fazem parte do nosso ser, e uma pessoa saudável deve sentir e expressar os sentimentos.

Para o nosso bem, devemos nos dar conta do que estamos sentindo, e mesmo que seja raiva ou ressentimento, reconheça e deixa passar, e nem se envergonhe por sentir inveja, que sabemos, é um sentimento baixo.

Somos seres sensíveis, nos emocionamos e é isso que enriquece as interações humanas.

Não somos robôs:

Se deixe emocionar e aceite as suas emoções, mesmo que não queira que elas fiquem contigo por longo tempo.

Ao aceitar, deixamos que as emoções negativas e pesadas nos deixem em paz.

E quando tratamos de emoções positivas, a aceitação permite que elas nos inundem, nos confortem e preencham a nossa vida.

Se aceite ser sensível, mesmo que isso represente estar triste de vez em quando.

R.S. Beco

1 Comentário

Ricardo Freitas da Silva

about 4 anos ago

Obrigado por mais um momento de sabedoria.

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta