Não faça um inventário dos outros.

Faça um inventário de si próprio e não dos outros.

Fulano tem um carro e uma casa.

Cicrano tem uma esposa rica.

Beltrano herdou uma fazenda imensa.

Isso só para falar nas coisas materiais.

Defeitos dos outros:

Quando partimos para as características pessoais então, é um tal de inventariar os defeitos dos outros – escrevemos relatórios inteiros na nossa cabeça sobre a vida alheia.

Já comentei aqui, que a pessoa que está exclusivamente preocupada com os outros, abdicou no seu trabalho mais importe – crescer e se tornar uma pessoa melhor a cada dia.

Podemos mudar a nos mesmos, e é isso.

Querer ou tentar mudar os outros é uma atitude prepotente e inadequada.

Ao invés de ficar muito atento para os defeitos dos outros, devemos olhar para o espelho, com honestidade e refletir sobre o longo e interminável caminho do aprimoramento pessoal.

É bom saber que o julgamento negativo que fazermos dos outros, no fundo estamos fazendo de nós mesmos.

Deixe as pessoas aproveitarem a vida como bem entendem e se concentre na qualidade dos seus relacionamentos, nos seus defeitos de caráter que você quer abandonar.

Olhe para trás, olhe para frente e se conecte com a sua jornada pessoal, fazendo hoje o que tem que ser feito, de maneira consciente.

Gretchen Rubin:

Gretchen Rubin, em uma postagem antiga dá algumas dicas para cuidar do próprio nariz – mind you own business.

As duas melhores que ela prescreveu, na minha opinião são:

1-ninguém pediu a minha opinião – isso porque vivemos dando opinião onde não somos chamados.

2-eu não sei a história completa – temos o péssimo hábito de dar o nosso palpite, conhecendo apenas parte da história – alguém que chega atrasado e já sai falando besteira.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta