Não é nada pessoal.

Observamos a montanha, majestosa e devemos mirar no seu exemplo quando se trata de enfrentar as adversidades da vida.

É uma metáfora muito boa.

Ela é bombardeada milhões de vezes pelos ventos, tempestades, granizo, e continua impassível, elegante, humilde, mas portentosa. E o mais importante, ela não leva nada pelo lado pessoal, eu imagino.

O mesmo não acontece com a gente. Qualquer coisa que acontece de errado, temos uma tendência de levar para o lado pessoal.

Levar para o lado pessoal:

É comigo.

Só acontece comigo.

Fui eu que provoquei.

Eu mereço.

Querem acabar comigo.

Querem me detonar.

É uma mania que devemos nos esforçar para evitar, eliminar.

Nem tudo que acontece com a gente tem nossa influência capital.

Não somos culpados por tudo que acontece de errado conosco.

A vida é, em grande parte, imprevisível.

Fazemos o que tem que ser feito, e fazemos o possível, mas os resultados são influenciados por tantos fatores que é praticamente impossível prever exatamente o que vai acontecer.

Mesmo quando não acontece exatamente como imaginamos, temos que dar graças pelo resultado.

De uma forma ou de outra, os nossos esforços são recompensados – não há como negar.

A vida pode não se justa nos mínimos detalhes, mas quando olhamos o grande quadro, temos que reconhecer a beleza, a abundância.

Somos apenas um nesse universo, não leve pelo lado pessoal.

Faça como a montanha – não é pessoal – e vai passar.

Temos que nos desligar um pouco dessa mania de querer buscar a causa para tudo.

Não precisamos encontrar o culpado.

O culpado, se existir, não é necessariamente você.

E no final das contas, pra quê é que temos que encontrar o culpado para tudo.

Pega leva, principalmente com você mesmo.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta