Não deixe a sua mente à deriva.

Quando a sua mente está à deriva, muito provavelmente está navegando por pensamentos negativos.

E isso te afasta da felicidade.

Pesquisadores de Harvard analisaram 250.000 respostas obtidas por meio do iPhone sobre a satisfação das pessoas versus o que estavam fazendo. Os resultados tiveram ampla divulgação, por exemplo a matéria publicada no New York Times.

As pessoas que estão no trajeto rumo ao trabalho, normalmente estão com a mente em qualquer outro lugar.

A satisfação tem mais relação com a localização da mente do que com a localização da pessoa.

Isso quer dizer que quando estamos fazendo alguma coisa agradável, prazerosa, devemos fazer com total compenetração, do contrário, a mente sairá á deriva.

O estudo descobriu que as pessoas pensam em coisas diferentes do que estão fazendo em metade das vezes.

A discussão sobre a causa e o efeito, se a mente à deriva causa a infelicidade ou a infelicidade leva a mente à deriva foi estudada pelos pesquisadores.

Concluíram eles que a mente é que é a condutora e não o contrário.

Muitos ditos populares antigos, presentes em diversas culturas e religiões apontam para a mesma constatação. No Brasil dizemos: mente vazia é a oficina do diabo – significa que deixar a mente à deriva é deixar que ela vague por maus pensamentos.

Mas nem tudo é contra indicado, como aponta o Prof. Jonathan Schooler da Universidade da Califórnia. No processo criativo, é totalmente produtivo deixar a mente vagar sem rumo, favorecendo o encontrão numa solução inovadora.

Mas de modo geral, é importante, como muitas vezes recomendado, estar no momento presente, viver intensamente aquilo que está fazendo no momento.

Mesmo quando experimentamos algo do que não gostamos, e isso é um problema, estar compenetrado na atividade pode nos mostrar pistas de como tornar isso agradável, e até alternativas para deixar de fazer essa atividade.

Quando deixamos a mente à deriva, simplesmente porque não gostamos do que fazemos, ficamos como Sísifo ( o mito grego), condenados a fazer e continuar fazendo indefinidamente.

Sugerem os pesquisadores que devemos permitir a mente à deriva apenas quando for deliberado, na busca de alguma solução criativa, ou relembrando coisas boas do passado.

O processo automático, que ocorre em 50% das vezes, da mente se afastando do momento presente não contribui para a felicidade.

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta