Não antecipe a sua velhice.

Não fique velho antes do tempo. Busque um modelo mais para um idoso sábio do que um velho acabado.

Fácil dizer – difícil fazer.

Algumas coisas eu já aprendi, por exemplo a reflexão valiosa que recebi e publiquei na Prece do Comodoro.

Algumas coisas vêm com a idade.

Ficamos mais lentos, e o próprio organismo fica mais lento.

Reagimos com menos precipitação e agimos com mais vagar, e isso vem com a sabedoria da idade.

No entanto, algumas pessoas ficam velhas antes do tempo.

Se recolhem nos cantos, perdem o interesse pelas coisas e deixam de apreciar o novo, e o calor dos relacionamentos pessoais.

Ficam carrancudos, chatos e inflexíveis, e dão até a impressão de que estão se tornando insensíveis.

Estou muito próximo dos 60 anos e me sinto já um pré-idoso. Tenho procurado aprender as lições para me parecer mais um idoso sábio, compreendendo o significado do entardecer da vida.

Como disse Carl Jung, o entardecer da vida tem um significado em si próprio, e não é apenas um apêndice da vida que transcorreu até aqui.

Os estudos apontam que as pessoas se tornam mais felizes com a idade. Idosos são mais felizes que os jovens.

Mas vejo pessoas insistindo em ficar velhos antes do tempo, matando os sonhos e jogando fora o entusiasmo pela vida.

Segundo o estudo conduzido nos Estados Unidos, as pessoas atingem o menor ponto, o nadir, aos cinqüenta anos e a partir daí, passam para a parte ascendente da curva da felicidade.

Devemos pois, desenvolver os mecanismos da maturidade ao passo que nos encaminhamos para o lado crescente da felicidade, como mostra o artigo do Economist.

Como escreveu Goerge Vaillant no famoso livro Aging Well – O Bem Envelhecer, quando jovens, estamos na tarefa de criar herdeiros biológicos, à medida que amadurecemos, estamos na tarefa de criar herdeiros sociais.

Não podemos excluir essa última etapa e passar logo para o ocaso da vida.

Aproveite a vida plenamente, e busque significado em cada fase.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta