Não adie seus projetos esperando pelas condições ideais

Não adie seus projetos esperando pelas condições ideais

Somos muito perfeccionistas e esperamos pelas melhores condições para realizar nossos projetos, mas as condições ideais podem nunca ocorrer. Não espere tanto para agir, para realizar.

O ótimo é inimigo do bom, como observou o pensador Voltaire.

Quando esperamos e admitimos somente o ideal, perdemos muito do bom da vida.

Queremos a excelência, a qualidade, a quase perfeição, isso é verdade, mas queremos também que as coisas aconteçam num prazo adequado e que satisfaça o propósito projetado.

Dustin Wax no seu famoso blog Stepcase Lifehack comenta sobre como reconhecer quando está bom o suficente.

Pode ser difícil aceitar algumas imperfeições ou algumas falhas, mas na maioria das vezes, o bom é o suficiente.

Recomendações de Dustin Wax:

1-A primeira recomendação de Wax é estabelecer um planejamento realista, se mantendo nele durante a execução,. Evite qualquer impulso para estabelecer condições ideais e resultados perfeitos. Diz ele que quando não estabelecemos metas realistas, ao longo do trajeto, corremos o risco do espírito perfeccionista nos atingir, colocando travas no meio do processo. Devemos estabelecer metas alcançáveis e suficientes e que não nos impeçam de seguir adiante.

2-Busque melhorar a autoconfiança, pois o estabelecimento de condições ideais e perfeitas é fruto do medo de falhar. É estranho ouvir isso, mas diz Wax, que o fato de não termos a confiança suficiente de que vamos conseguir, faz com que coloquemos mais ênfase no planejamento de algo inatingível.

3-Cometa falhas perfeitas, isto é, aquelas que te permitam o aprimoramento e o crescimento. O perfeccionismo é o inimigo da ação, pois imobiliza a pessoa, tudo isso provocado pelo medo de cometer qualquer erro, por menor que seja.

Abraçar o erro, aceitando-o, é o passo inicial para tirar daí uma lição, para se conectar com o mundo real, do bom, do atingível, do realizável.

4-Paradoxalmente, o estabelecimento de metas perfeitas te impede de dar o melhor de si, como já comentei, leva ao imobilismo. O perfeccionismo não é um mal porque nos leva a fazer muito e sim porque nos leva a querer muito e não fazer nada.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta