Muitos pequenos problemas.

Certamente sentimos a carga de tantos pequenos problemas. Se contabilizarmos todos eles, vamos ficar estressados.

Temos que criar alguns artifícios para evitar esse drama em cima de pequenas coisinhas, muitas vezes sem importância.

Uma recomendação muito importante é desentulhar a nossa vida de tanta coisa inútil, carga desnecessária e tempo perdido.

Fazemos muitas atividades que não agregam qualquer valor para a nossa vida, como ligar para os outros para contar fofocas.

Comparações:

Ocupamos muito tempo da nossa mente fazendo comparações silenciosas, fulano tem isso, beltrano comprou aquilo. Gastamos muito da nossa paciência se ocupando com pequenos conflitos do cotidiano que deveríamos deixar ir.

O estresse é cumulativo, e mesmo o espelho quebrado que nunca consertamos, a lâmpada queimada que insistimos em não substituir, contribuem para aquele milímetro de estresse. Com isso, o nosso copo acaba transbordando.

Temos que assumir uma atitude definitiva de simplificar a nossa vida para melhor, impedindo de uma vez por todas, que pequenos problemas se acumulem na nossa mochila. Feito isso, vamos caminhar com mais desenvoltura, liberados de tanta carga inútil e desnecessária.

O fato é que acumulamos as pequenas preocupações involuntariamente. Isso acontece sem que percebamos, e de repente o nosso copo está cheio de água suja. A nossa mochila está cheia de pequenas pedras atiradas para dentro sem o nosso consentimento direto.

Deixe passar as pequenas coisas:

Temos que deixar passar as pequenas coisas, uma desavença no trânsito, uma discussão no banco, uma irritação com um cliente ou mesmo fornecedor.

O nosso cotidiano é farto em oportunidades para nos aborrecermos, e temos que ter em mente sempre a disposição para não fazer tempestade em copo d’água.

Os problemas grandes e devastadores são raros, e acontecem com a gente uma vez ou outra em toda vida, mas os pequenos podem nos atingir diariamente.

Quando nos deixamos afetar por pequenas coisas, elas se somam, como pequenos duendes, um no ombro do outro, travestidos de monstro, e que na verdade, por debaixo do pano, são apenas pequenas coisinhas.

Ficamos tão amedrontados que sequer notamos que são apenas as pequenas preocupações e conflitos que se acumularam por pura negligência, uma atitude relaxada e pessimista.

Olhe a vida com uma firme disposição de fazê-la melhor, não para os outros, mas para si mesmo.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked