Muito triste para dar graças.

Às vezes nos sentimos tão machucados que a última coisa que nos ocorre é dar graças por qualquer coisa.

Pensamos em amaldiçoar, culpamos a nós mesmos e também saímos atrás de alguém para imputar alguma culpa.

Tentamos nos livrar do sofrimento, mas agradecer a quê?

Dar graças a quê?

Paradoxalmente é nessa hora que precisamos dar graças.

Gratidão:

A gratidão, nessas horas, funciona como o remédio que relutamos em tomar.

Temos dúvida se vai funcionar.

Não conseguimos relacionar as coisas que funcionam em tempos de calmaria com as coisas que funcionam em tempos de tempestade.

Acho que a nossa mente busca na realidade física as explicações, e isso tudo parece não fazer sentido.

Para que o guarda-chuva se não temos chuva?

Para que o guarda-sol se não temos sol?

Para que o remo se não temos nem canoa nem um rio para atravessar?

Mas para entender isso, temos que nos voltar para outra lógica, que já experimentamos em outras ocasiões, e funcionou.

Para combater o mal, fazemos o bem.

Tristeza:

Queremos nos afastar da tristeza e buscamos a alegria.

Sofremos com a solidão e procuramos companhia.

Pensando desta maneira, o que parece paradoxal pode até fazer sentido.

Agradecer por tudo que tem, mesmo quando sentir que tudo está te sendo tirado.

Dar graças por tudo que recebeu, até as mínimas coisas, mesmo quando perceber que ajudas mínimas te são negadas.

No meio da tristeza e do sofrimento, abrace, agradeça e abençoe o que já recebeu, abrindo assim as portas para receber mais.

Esteja pronto para ser ajudado, e seja sempre grato por receber.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta