Muito feio para admitir.

Às vezes acontece de nos sentirmos envergonhados por algo que fizemos, e não conseguimos admitir que fizemos tal coisa. Mentimos, manipulados, tentamos enganar os outros e a nós mesmos.

Como nos ensinou o prof. Daniel Wegner da Universidade de Harvard, quanto mais tentamos não pensar em uma coisa, mais ela não sai da nossa cabeça, e esse fenômeno mental perverso acaba nos prejudicando.

Enquanto ficamos lutando contra o incidente, mais ele fica martelando na nossa cabeça.

Temos que deixar ir, fazer as pazes com o passado, admitir, mesmo que seja uma coisa de que nos envergonhamos.

Se temos como corrigir, consertar, se desculpar, devemos fazer logo, pois isso vai aliviar as nossas emoções negativas.

Perdoar e seguir em frente:

Se não há o que fazer, temos que nos perdoar e seguir em frente.

Quando fazemos aquele esforço enorme para negar, manipular, esconder, aí é que o incidente permanece nos machucando.

Temos que ponderar se vale a pena confidenciar a alguém, fazer reparações, e tudo isso pode aliviar o sofrimento.

Quando é muito tarde para consertar, devemos nos tratar com gentileza e honestidade. Ninguém é perfeito e tampouco está livre de cometer falhas. Quando refletimos bastante, aprendemos a lição, só nos resta tocar a vida.

Quando a prepotência nos coloca em posição de infalíveis, e tentamos por tudo, negar a si mesmo o ocorrido, se enchendo de desculpas e justificativas, gastamos muita energia sem resultado, pois nós sabemos o que aconteceu. Podemos enganar a todos, mas não podemos enganar a nós mesmos.

Aceitar, se redimir, reparar, vai te liberar dessa carga enorme que você carrega nos ombros.

Siga a vida com leveza, mas com determinação, admitindo que pode errar, mas pode aprender a lição. Quando ficamos nas desculpas e negações, escolhemos a estagnação, pois não saímos do lugar.

A vida é cheia de surpresas e algumas não são agradáveis.

Aceite tudo que vier, tire lições, tire proveito, e procure crescer em todas as circunstâncias.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta