Mudanças positivas.

Nem sempre percebemos que mudanças vêm para o bem – gostamos de resistir.

Não só resistimos, mas argumentamos e justificamos.

Mudanças são uma constante na nossa vida, temos que encarar dessa maneira.

Grande parte das mudanças bem para o nosso bem e representa um passo adiante, um crescimento.

Acomodação:

Mas temos uma dificuldade para enxergar isso porque gostamos de onde estamos, como estamos e somos mestres na arte da acomodação – um instinto natural.

Devemos no entanto, olhar um pouco para trás como quem olha rapidamente pelo espelho retrovisor. É bom constatar o quanto mudamos e crescemos.

Sei que não sou mais aquele garoto petulante do passado. As mudanças me posicionaram melhor frente às situações que enfrentei e tenho que enfrentar.

Muitas mudanças foram positivas olhando agora que tudo passou. Mas à época, sei que resisti, tive dúvidas e lamentei dar esse passo.

O sapato velho é confortável, e o sapato novo ainda aperta um pouco, mas o futuro é bem melhor – temos que acreditar nisso.

Quero mudar para melhor, quero ser uma pessoa mais tolerante, generosa e compreensiva.

Mas para que essa transformação ocorra em mim, tenho que estar disposto a mudar, tenho que estar com a mente aberta para o crescimento.

Limitações:

Uma mente fechada funciona como uma limitação sem tamanho.

Não só não aceitamos a mudança como sequer enxergamos os benefícios que elas trazem.

Muitas mudanças que temos que fazer para o nosso bem são postergadas ano após ano.

Praticar algum esporte, fazer exercício físico é um tema que resistimos.

Fazer alguma dieta e adotar uma alimentação mais saudável também é difícil encarar.

Mas as mudanças que envolvem os relacionamentos são ainda mais difíceis. Resistimos muito a mudar nesse campo.

Enquanto mudamos coisas externas, até navegamos bem, mas quando se trata de se livrar de algumas atitudes e sentimentos negativos, tais como o orgulho, a vaidade e a inveja, temos que trabalhar duro.

Mas o crescimento pessoal é assim mesmo – uma luta dura – um dia de cada vez.

Beco

2 Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta