Um grande amigo se foi.

Fiquei sabendo ontem que ele se foi.

Interessante refletir sobre a relação que tivemos.

Nunca o visitei. Ele nunca me visitou. Os nossos contatos foram meio programados, meio erráticos, mas ele teve uma influência tremenda na minha vida.

Praticamente tudo que escrevo hoje neste blog, teve início na nossa primeira conversa, altamente filosófica, honesta, verdadeira e corajosa.

Crise:

Me disse o amigo, que a vida pode parecer uma tempestade, um furacão, um circo de horror.

Podemos até pensar que a vida é isso – é isso aí.

Mas se prestarmos muita atenção, em meio à penumbra deste circo de horror, vamos enxergar uma escada.

Essa escada tem uma forma de espiral, na verdade um helicoide.

Vamos tateando na penumbra, alcançamos a escada e começamos a subir. Ao darmos a primeira volta, damos uns doze passos e parece que voltamos ao mesmo ponto, mas percebemos que estamos um pouco mais elevados, e podemos enxergar a nossa realidade com mais clareza.

Seguimos degrau a degrau, e logo percebemos que a vida é isso, uma escada – essa é a escada do nosso crescimento pessoal.

Quanto mais subimos, mais do alto miramos o horizonte, e mais longe enxergamos a perspectiva da nossa vida.

Quando olhamos mais do alto, nos damos conta da pequenez das picuinhas lá embaixo.

Senso de proporção:

Quando olhamos do alto, ganhamos o senso de proporção, e vemos que muita coisa não tem a menor importância.

O meu amigo, filósofo da vida, me ensinou muitas coisas, não como quem ensina, mas como quem relata a própria aprendizagem.

Não sei se consegui assimilar o seu estilo, mas tento no blog passar aquilo que aprendi.

Ao saber da sua passagem, me veio uma imensa saudade da sua candura, sabedoria e serenidade inabalável.

E hoje, passada a tormenta, a tempestade e as nuvens negras da vida, o céu límpido, e o horizonte longínquo, olho para aquela escada, e vejo que ela sempre esteve ali mas foi preciso que você me abrisse os olhos para que eu pudesse enxergá-la.

Amigo – fique bem – na companhia do seu Poder Superior.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta