Medo não mata.

Já morri de medo em tantas ocasiões e continuo vivo. Aprendi que o medo não mata.

O medo é uma emoção, um sentimento ancestral e está arraigado no nosso gene, e devemos conviver com ele da melhor maneira possível.

Temos medo em situações reais de perigo, mas nos dias de hoje, temos mais medo de coisas que não vão acontecer.

O futuro sempre nos amedronta.

Medo:

Tenho medo que a situação piore.

Tenho medo que o mal me acometa.

Tenho medo de perder o emprego.

Tenho medo que o casamento naufrague.

Tenho medo que os filhos adoeçam.

Na verdade, quase nada das situações que tememos, acontecem lá no futuro.

O futuro é melhor, pode acreditar, e o medo não mata ninguém.

Para as situações reais que envolvem o medo, podemos muito bem planejar e prevenir, e isso dá conta do recado.

O medo de faltar dinheiro para a faculdade dos meninos pode ser resolvido com uma poupança adequada.

O medo de adoecer pode ser auxiliado com cuidados profissionais, uma boa nutrição, exercício físico e uma atitude mental positiva.

Já para as situações totalmente fictícias que a nossa mente é capaz de elucubrar, não há nada a fazer a não ser buscar a serenidade e aliviar a mente de tanta preocupação e tanto medo.

Medo é natural, mas temos que seguir em frente:

Sentir medo é natural, mas não devemos permitir que isso nos paralise diante da vida, diante do futuro.

Não há o que temer no futuro. Um passo de cada vez, podemos seguir o nosso caminho com segurança.

O medo será amenizado, e vamos até mesmo nos esquecer dele quando a confiança e o foco na realidade presente nos colocar na direção da ação, realização e exercício da nossa melhor capacidade.

Não devo dizer para você não sentir medo, pois ele virá com certeza.

Lembre-se que o medo não mata, e você é capaz de agir e concretizar os seus projetos e sonhos a despeito do medo.

R.S. Beco

1 Comentário

Denise T. Resende Pessoa

about 5 anos ago

Olá Rubens, Eu tenho aprendido que uma forma de amenizar o medo é nos preparando para viver algumas situações, adquirindo conhecimento sobre o assunto, desmistificando crenças e agora, numa descoberta que fiz recentemente, colocando o foco na realidade, como você mesmo disse em seu artigo de hoje. Pensando bem, em tudo na vida há risco, e se ficarmos sempre buscando segurança total, não viveremos. Optei por ser otimista, acreditar que um Poder Superior me reserva dias melhores e arriscar ir vivendo, até porque não há como parar, interromper a jornada - dar um stop -, até que eu sinta segurança para continuar. Uma vez eu li que ter fé é subir o primeiro degrau mesmo sem estar enxergando o último, e se eu tiver medo de iniciar uma empreitada, qualquer projeto, nunca saberei o resultado. E assim é a nossa vida! um abraço, Denise

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta