Me odeio quando faço isso.

O que está por trás dessa crítica?

É uma disposição automática de se julgar/condenar/criticar.

Pode parecer algo inocente e inofensiva, mas a autocrítica excessiva pode ser um empecilho ao crescimento pessoal.

Isso pode guardar ainda um espírito perfeccionista, condenando tudo que não sai perfeitamente conforme desejado.

Recriminações:

-Eu já disse e vou repetir – sou um perfeito idiota.

-Eu sabia que ia cometer essa besteira.

Muitas vezes a crítica vem com outra roupagem.

-Eu não sou mesmo bom nesse esporte – vocês vão ver como sou ruim.

-Olha, eu não sei fazer isso – toda vez que faço dá errado.

Uma maneira boa de lidar com isso é desafiar a autocrítica.

Desafie:

Imediatamente após a crítica sair da sua boca, desafie, prove que você está errado com você mesmo.

Comprove o contrário – realize – construa – faça certo.

Mesmo que nenhuma ação esteja envolvida, faça o desafio mentalmente, desconstrua a crítica, pedaço a pedaço.

Isso é um sinal de baixa auto-estima, e já é hora de levantar, de colocá-la para cima.

A autocrítica é importante para não fazermos besteira. Funciona como um anjinho no nosso ombro nos lembrando dos perigos reais e da nossa verdadeira capacidade em enfrentar as barreiras da vida.

Devemos no entanto, desenvolver uma relação madura e adequada com essa autocrítica.

Uma relação subserviente, abaixando a cabeça e respondendo de maneira escrava e automática não é bom.

Dizem os especialistas que não devemos procurar silenciar a autocrítica, pois ela é a nossa própria sobrevivência.

Aliás, mesmo que tentemos, não vamos conseguir, a não ser que sejamos psicopatas.

A autocrítica tem que trabalhar ao seu favor.

Se pergunte sempre se ela está te ajudando.

Em cada situação, reflita se ela está te prevenindo de algum perigo ou mesmo te orientando para os melhores caminhos e decisões.

Será que ela não está te paralisando?

Será que ela não está te deprimindo, te diminuindo, colocando você para baixo?

Trabalhar ao seu favor é te proteger sem desencorajar.

Prevenir sem te imobilizar.

Diga para você mesmo, que as observações negativas sobre si mesmo não são bem vindas.

Reinvente a sua autocrítica.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta