Magoando quem nos cerca.

Às vezes assumimos comportamentos inconsequentes e temos a ilusão de que estamos ferindo somente a nós próprios, mas devemos saber que ferimos todos os que nos cercam, sejam amigos ou familiares.

É o exemplo do alcoolismo e a dependência química, que acabam por transbordar nos nossos entes queridos.

Quem negligencia com a própria saúde acaba deixando trabalho também para os outros, pois logo estará com alguma incapacidade física ou mental.

Devemos pensar em nós mesmos, mas temos que considerar o nosso pequeno grupo social de amigos e familiares, eles são a nossa vida, e o equilíbrio está na saúde plena de todos.

Muitas vezes, o defeito não afeta apenas a capacidade fisiológica, mas o comportamento. Isso acontece com o velho hábito de mentir, falar mal dos outros, fofocar e fomentar intrigas no próprio grupo social.

Temos que tratar bem e exercitar a empatia e compaixão, primeiramente, com aqueles que nos cercam.

Generosidade:

Pratique a generosidade em casa, se coloque no lugar do outro quando estiver negociando alguma coisa. Procure sempre a alternativa que proporcione o ganha-ganha. Não deixe ninguém perder, considere o interesse do outro.

Como uma regra geral, pense e faça o bem, e estabeleça isso como o modo normal – faça isso automaticamente.

O mesmo ato negativo provocado contra um estranho, magoa mais quando aplicado contra uma pessoa que te ama.

Isso acontece porque a pessoa que te ama, espera sempre um comportamento amoroso, honesto e respeitoso. Quando a magoamos, o fazemos pra valer.

Quanto mais tempo passamos juntos, maior a chance de magoar um ao outro, Por esse motivo temos que colocar atenção na repercussão dos nossos atos nas pessoas mais chegadas.

A magoa vem amplificada pela decepção e desapontamento, pois nunca esperamos isso de pessoas que amamos.

Criamos naturalmente maior dependência dos que nos cercam. Contamos com eles para muitas coisas, e isso é também uma avenida para futuras decepções.

Porque não podemos amar sem magoar?

Podemos sim, reduzir bastante os atos que magoam.

Quando percebemos imediatamente que cometemos uma infração desse tipo, temos que nos desculpar e atentar para não fazer de novo.

Quando o fenômeno da magoa acontecer, reflita se essa dependência e expectativa não devem ser recalibradas.

É inevitável que laços profundos tragam junto a expectativa e a dependência, mas tudo o que é demais pode prejudicar.

Trate com amor, como uma regra geral, e vai dar certo.                                                                      R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta