Livrar-se das comparações.

A mensagem deste mês é livrar-se das comparações, para ganhar desenvoltura e seguir mais leve pela jornada da vida.

Quando nos comparamos com os outros, estamos abrindo uma avenida de infelicidade.

Assim como a nossa visão lateral quando dirigimos um carro, devemos encarar as comparações.

Se eu ficar fixando a minha visão nas coisas que acontecem na rua, vou me envolver em colisões.

Comparações:

Tenho que olhar sempre para frente e deixar que a visão lateral dê conta de enxergar mais ou menos o que se passa nas laterais.

Quem vive a vida se comparando com os demais, só pode ter dois resultados.

Primeiro – está parado na vida – não vê qualquer evolução.

Segundo – está constantemente se envolvendo em dramas, dor e sofrimento.

Cuide da sua vida, deixe que cada um cuide da vida deles.

O seu carro não é nem melhor nem pior que aquele do vizinho.

A sua casa também não mais ou menos espaçosa, vistosa ou valiosa.

O seu vestido de festa não é mais ou menos bonito que das outras convidadas (não sei isso se aplica – afinal sou homem e admito que não entendo nada disso).

Se você não consegue fazer nada sem se comparar com as outras pessoas, é sinal que está numa esteira hedônica que não desliga nunca. Pule fora dela para ser feliz.

Para o nosso crescimento pessoal, a única comparação interessante é de você com você mesmo.

O que fiz ontem, e as lições que aprendi, devem orientar as ações e decisões que tomo hoje.

Crescimento pessoal:

Olhe a sua escada e a sua evolução nos degraus que representam o seu crescimento.

A escada do outro é outra escada – inútil fazer comparações.

Comparações te tira sua atenção do seu trajeto e te induz a tropeços, contratempos e retrocessos.

Cuide da sua vida.

Cuide do seu nariz.

Cuide da sua felicidade.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta