Humildade não é inferioridade.

Temos que cuidar da nossa autoestima, e por vezes temos a ideia equivocada de que humildade é também um estado de inferioridade.

Na verdade, a humildade é um sentimento de grandeza, que permite que se relacione no nível do outro, sem se sentir nem inflado nem diminuído.

Conhecemos as nossas qualidades tanto quanto os nossos defeitos, e reconhecemos o quanto temos que progredir.

Temos ainda uma disposição para seguir no crescimento pessoal, e a humildade, nem de longe, representa uma barreira para isso.

Humildade não significa se humilhar ou se sentir e se fazer pequeno diante das interações com outras pessoas.

É ter a capacidade de compreender a situação de qualquer pessoa, seja na alegria ou no sofrimento de forma compassiva.

Às vezes confundimos a falsa humildade demonstrada por pessoas soberbas, que ensaiam comportamentos comuns por cima do seu salto alto.

Em outros momentos, somos surpreendidos por uma humildade humilhante de pessoas que se abaixam e se deixam pisar, como se nada de valor merecessem naquela oportunidade, e certamente são alvos da prepotência e arrogância de certas pessoas.

Cabe em qualquer lugar:

A humildade cabe em qualquer lugar, e não é nenhum dos dois comportamentos exemplificados, e ela exige grandeza de espirito. Não devemos olhar para os nossos relacionamentos como que olha para os outros no meio de uma escada. Olhamos para cima e nos humilhamos, olhamos para baixo e humilhamos os outros.

Humildade é olhar para os outros no mesmo nível, como quem se abaixa gentilmente para ouvir as necessidades de quem está prostrado no chão, e chega o ouvido próximo da boca do outro, pois a voz já enfraquecida não consegue dizer o que sente.

Humildade é resistir à tentação de subir no salto alto para se colocar mais alto que o outro. É deixar que a interlocução ocorra de igual para igual, sem vantagens, sem vitórias.

Aquele que confunde humildade com inferioridade, deve se levantar do chão rapidamente.

Se não quer que te pisem, se levante do chão, ou vai ser confundido com o capacho.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta