Hoje sei que sou digno e merecedor.

Houve dias que me senti muito por baixo.

A vida já me deixou de joelhos, e tive que me juntar de coragem para me levantar.

Mas hoje sei que sou digno e merecedor, e aceito de cabeça erguida tudo que a vida tem para me oferecer.

Já quis me desfazer de tudo, sumir, me afastar dos amigos e morar debaixo da ponte.

Somos impotentes:

Quando estamos por baixo, aprendemos uma grande lição, o quanto somos impotentes perante a grandeza deste mundo.

Somos pequenos e podemos pouco, e a prepotência calibra a nossa queda quando passamos por graves dificuldades.

Quanto mais poderosos nos julgamos, maior é o efeito da queda, maior é o estrago emocional em nós mesmos.

Mas aprendi a lição e sigo adiante, otimista em muitos aspectos e realista quando se trata de enxergar a real dimensão das adversidades.

Quando estamos por baixo, as mínimas coisas nos atingem como uma verdadeira tsunami, perdemos a noção de proporção.

Fazemos tempestade em copo d’água, olhamos o copo sempre vazio e encontramos dificuldades em tudo. Não é à toa que nos sentimos tão diminuídos.

A vida é maior que nós:

Mas a vida é maior que nós mesmos, eu cheguei a essa conclusão.

Temos que aceitar as coisas que estão fora do nosso alcance modificar, e assumir a nossa responsabilidade por mudar aquilo que está ao nosso alcance.

Se render não é capitular, desistir. Muito diferente, se render é aceitar as coisas que estão fora nosso alcance.

Eu me rendi à vida e assim, pude usufruir da abundância que ela me proporciona.

Se render significa parar de lutar contra aquilo que não tem poder para mudar, e só assim pude aceitar e enxergar a beleza de tudo que me cerca.                                                                                                                                             R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta