Gratidão é a memória do coração

Gratidão é a memória do coração

Gratidão é a palavra que tem que estar na nossa mente desde a primeira hora do dia. No Natal passado recente (2015), recebi de presente um livro do amigo Julio. Não pude ler o livro de pronto como costumo fazer, mais por conta da correria da mudança de residência e da ocasião festiva. Logo que conseguir pegar o livro para ler,  fui logo na página 42 e li sobre a paz. No meio do texto, encontrei algo que me remeteu aos ensinamentos do meu avô. O escrito dizia que paz é dar e receber e não ter vergonha de pedir e agradecer.

Meu avô me ensinou que todo dia temos que pedir e agradecer, e aprendi no caminho da vida que temos que expressar essa gratidão.

Agradeça:

Muitas vezes nos sentimos gratos pelas ações das pessoas, mas deixamos de completar o processo, que é receber e agradecer. Demonstre a gratidão, e você vai se sentir melhor, e mais do que isso, vai dar abertura para mais atos similares.

A gratidão, como ensina Robert Emmons, requer humildade. É preciso reconhecer que não poderíamos ser quem somos ou estar onde estamos na vida, sem a contribuição dos outros.

A gratidão é sempre agradável, aliás, é a raiz etimológica da palavra, relacionada sempre com bondade, generosidade, dádivas. É a beleza de dar e receber ou simplesmente receber.

A gratidão não é só agradável, mas dá prazer e motiva, e assim somos levados a querer compartilhar mais a bondade que recebemos.

A gratidão é a consciência de que somos constantemente alvos da bondade e da generosidade das pessoas e precisamos demonstrar essa gratidão.

No entanto, é muito comum estarmos completamente desatentos ao mundo de generosidade, estabelecendo como certas as coisas que temos. A nossa prepotência nos impede de aceitar que recebemos ajuda, que não somos suficientes, que não somos oniscientes.

Esse comportamento é por si só, uma limitação séria para usufruirmos dessa energia positiva

Enriquecer sua vida

Podemos receber muito, mas somente quando agradecemos é que nos torna uma pessoa rica, pois assim nos damos conta de tudo que temos e recebemos.

A busca da felicidade não é completa sem a gratidão. Quando elaborei uma regra básica da felicidade, como já puderam ler em postagem anterior, inclui o ato de agradecer.

A gratidão não é míope, não passa uma borracha nos acontecimentos negativos e dolorosos, mas ela traz consigo um rosário de sentimentos agradáveis, a aceitação, a humildade, a bondade a generosidade. Isso torna mais leve o fardo que todos temos que carregar na vida.

Melhor ainda, a gratidão nos permite tirar o máximo de satisfação dos acontecimentos positivos. Quando os percorremos com a memória, nos atamos a eles e permanecemos neles por mais tempo – é a memória do coração.

Contrariamente, a ruminação, nos mantém atados ao sofrimento, pois ficamos indefinidamente ruminando os problemas, as preocupações a raiva e os ressentimentos.

Num artigo no New York Times, Robert Wright escreve sobre o Dia de Ação de Graças. Relata a própria experiência de encontrar algumas respostas na entrevista que casualmente assistiu do Professor Robert Emmons.

Demonstre seus sentimentos, se emocione. Demonstre gratidão.

Inúmeros estudos científicos, dentre eles, os conduzidos por Robert Emmons, demonstram que as pessoas gratas são mais saudáveis.

Um coração grato é um coração saudável.

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta