Faça um diário e conheça a si próprio.

Faça um diário do que acontece contigo e vai conhecer melhor a si próprio.

Muitos especialistas apontam o diário como uma ferramenta importante para a busca da felicidade.

Só o fato de relatar e digerir diariamente aquilo que te aborrece, que te contenta, que te atrai e te repele já é um passo enorme para ser mais feliz.

É trazer o que está dentro, o seu íntimo, descobrir o seu potencial, a sua intuição, enfim, uma ferramenta de auto descoberta.

Faça de maneira leve e descontraída, dedicando uns 15 minutos diariamente.

Falamos de diário, mas pode ser com uma freqüência menor, o importante é manter o ritmo.

Expressar as coisas que te aborrecem é uma maneira de sublimação, é uma autoterapia, se é que tal termo existe.

Podemos e devemos demonstrar gratidão pelas coisas boas que aconteceram no dia, e estamos utilizando aí o poder da gratidão.

Quando relatamos coisas boas, estamos reforçando-as na nossa memória, o que prolonga o nosso bem-estar e a nossa sensação de felicidade.

Com o tempo, nos habituamos a escrever com afeto, demonstrando os nossos sentimentos, o que aumenta a nossa disposição para ser feliz.

A capacidade de escrever melhora a cada dia, começamos modestos e tímidos e com o tempo mostramos mais desenvoltura.

Isso aconteceu comigo também no blog. Quem tiver a curiosidade de ler as primeiras postagens do início, em janeiro de 2010 vai constatar isso.

Às vezes o diário acaba sendo uma carta não enviada para alguém, e acaba gerando o mesmo efeito em você, como se a estivesse enviado.

Às vezes é um desabafo sobre algo que ocorreu, que envolveu outra pessoa, e não ficaria bem desabafar com ela, mas o diário vem bem a calhar.

Kristin, uma blogueira que faz o diário há vinte anos, comenta que: “ devemos dedicar um tributo aos pequenos momentos de felicidade que o dia-a-dia imprime na nossa memória, tornando a nossa vida mais rica e mais colorida. Às vezes não reduzimos o nosso ritmo o suficiente para aproveitar os pequenos e valiosos momentos que aumentam a nossa felicidade. A felicidade não é uma nuvem rosada que nos leva, levitando por todo o dia, mas a apreciação das pequenas belezas e alegrias que ocorrem no dia. Parar para sentir o aroma das flores pode parecer clichê, mas sempre rio de mim mesma quando faço isso, ou mesmo quando paro para apreciar as flores que acabaram de desabrochar. Isso realmente faz meu dia parecer mais doce. Ao capturar todos esses momentos no meu diário, eu os prolonga, os acentuo, dando-lhes vida própria.”

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta