Faça bons amigos.

Quantos amigos íntimos você tem?

É muito comum se dizer que amigos são poucos.

Também se diz que os amigos de verdade se contam nos dedos de uma única mão.

Os bons amigos são tão bons, que às vezes desejamos ter mais nomes nessa lista.

Fazer amigos parece algo para o qual já nascemos prontos, somos seres sociais afinal das contas.

Interessante como algumas amizades duram intensamente por anos e depois somem sem que nem por que.

Mais interessantes são as amizades que duram a vida toda, mesmo estando distantes. Quando se encontra, é como se a distância nunca tivesse qualquer significado.

Fazer bons amigos requer dedicação.

Preservar boas amizades requer outro quilo de dedicação.

Primeiro de tudo é preciso valorizar as boas amizades, do contrário, elas irão desaparecer, se dissolver.

De qualquer modo, é importante saber como elas desaparecem.

Discussões, inveja, fofocas, arrogância, prepotência e outras causas venenosas estão sempre na arena das amizades destruídas.

Sem querer coisificar a amizade, acho que devemos encarar bem como um investimento.

Se imagine, idoso, sem ter com quem falar das suas coisas.

O que seria de nós se ninguém se importasse conosco, sequer para ligar e contar uma novidade alvissareira.

Digo encarar como um investimento que requer o olho do investidor constantemente.

Não dê como certo as amizades que tem. É preciso cuidar.

O que você quer da amizade?

O que você tem a oferecer na amizade?

Desenvolva as amizades pensando sempre nos dois lados. A amizade que só tem um lado, tem grande chance de ser puramente interesseira.

Quando você for o alvo do interesse, fuja.

Quando você for o sujeito do interesse, não force a barra.

Dizem que as boas amizades dão trabalho.

Aquela amizade de praia, desinteressada, descompromissada, é também desqualificada. Não se pode contar.

A boa amizade é longa e repleta de histórias que podemos recontar por anos e anos.

Uma boa coisa é procurar integrar os amigos, novos e velhos.

É bom poder convidar vários para um mesmo evento, e tê-los todos à vontade.

As pessoas são diferentes. Devemos respeitar as diferenças, enquanto celebramos as convergências.

Beco

2 Comentários

Juliano

about 6 anos ago

Oi Beco, Gosto muito do seu blog, ja o recomendei pra varias pessoas. Porem, percebo que voce sempre escreve no sexo feminino. Seus posts sao sempre destinados a mulheres? Um grande abraco e parabens pela iniciativa. Juliano

Responder

Beco

about 6 anos ago

Amigo Juliano, Ao longo do tempo, aprendí que a blogsfera é predominantemente frequentada por mulheres. As mulheres blogam mais, acessam mais, participam mais. Por esse motivo, sempre que me dou conta, coloco os textos no feminino, sem que tenha a intenção de tornar isso um padrão. Que bom você tem gostado dos textos. É apenas uma coleção pequena da imensidão de lições com as quais esbarramos todos os dias. Um abraço, Beco

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta