Evite a autopiedade.

A autopiedade nasce da concentração nos aspectos negativos da vida.

Nos fazemos de vítima, sentimos pena de si mesmo, e com isso acabamos paralisados, ao invés de atacar os problemas e procurar vencer as dificuldades.

Se você foi roubado, evite desenvolver os  pensamentos que conduzem a autopiedade:

-isto não está acontecendo comigo.

-só podia ser comigo.

-eu mereço.

-sou mesmo um coitado.

Afaste o pensamento derrotista:

Você deve afastar essa questão de merecimento. Não sei se você merece ou não merece receber o que está recebendo, e isso não vem ao caso.

O mesmo modo de pensamento te atinge quando você pensa assim diante da desgraça de outra pessoa: ela merecia mesmo receber o que está recebendo.

Isso mostra que você desenvolveu uma atitude, um modo de pensamento que leva a conseqüências desastrosas para si próprio.

Você tem que lutar para sobrepujar as dificuldades. Você deve imaginar maneiras de vencer as barreiras.

Não deve assumir uma atitude resignada e entreguista, e isto é a resultado da autopiedade.

Desenvolver esse tipo de atitude te leva à passividade diante das adversidades.

Assumir que tudo aconteceu porque você merecia tal desgraça, afasta a possibilidade de tirar uma lição das dificuldades.

Imagine uma gazela na floresta, pastando calmamente e nota a aproximação de um leão. Se ela, resignada, assumir que é uma fatalidade e que nada pode fazer a respeito, vai ficar estagnada, paralisada e vai virar alimento em um segundo.

Quando ficamos pensando no podia e no devia, estamos também no caminho da paralisação. Ele podia ter me ajudado, eu devia ter feito isso.

Pensamento circular:

Isso leva a um pensamento circular que te mantém prisioneiro da situação indesejada.

Fure esse bloqueio.

Não sinta pena de si mesmo.

Deseje imensamente ser feliz, e saiba que há muita coisa que você pode fazer a respeito.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta