Eu posso fazer melhor.

Sei que posso fazer melhor.

Tenho aprendido com os erros e procuro não repeti-los.

Gosto de receber sugestões e luto para aprender a receber as críticas como um bom aprendiz.

A vida tem me reservado algumas bolas quadradas, e para a minha surpresa, vieram recheadas de lições valiosas.

Não sei o que vem no futuro, mas espero sempre poder fazer melhor, a cada dia, a cada oportunidade.

Mente aberta:

Sei que sou cabeça dura às vezes, e fico feliz em reconhecer quando esse péssimo hábito começa a reaparecer, pois reconhecê-lo tem sido o primeiro passo para evita-lo.

A satisfação de ver que posso fazer melhor é enorme, pois é um sinal de que estou vivo, aprendendo, inclusive para o meu propósito de ser uma pessoa melhor a cada dia.

Me lembro sempre dos dizeres que Paulo Coelho encomendou para a sua lápide: aqui jaz quem morreu vivo.

Explicou o escritor que aquilo que parece óbvio, na verdade não é, pois nem todos estão plenamente vivos quando morrem, ou seja, já deixaram de viver de verdade há tempo.

Sei que a sensação de que estou melhorando sempre, principalmente na competência para lidar com a minha aprendizagem em todos os sentidos é sinal de que estou vivo.

Ainda me pego cometendo falhas e fico contrariado comigo mesmo. Procuro corrigir, me desculpar, e não tropeçar nos mesmos buracos.

Aprender a lição:

Dizem que devemos ficar atentos não onde caímos, mas onde tropeçamos. Procuro ter isso sempre em mente.

A maturidade tem me aliviado da precipitação, da pressa e da agitação.

A serenidade tem me permitido pensar antes de agir, procurando sempre mediar as minhas emoções negativas.

Embora saiba que nem sempre isso é possível, um pouco já é o bastante.

Faço o que dou conta, aceito o que está fora do meu controle e procuro ser feliz e estar em paz.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked