Eu não te disse

Eu não te disse

Não seja aquele que vive criticando os outros, especialmente depois que alguma coisa errada acontece.

Eu não te disse que ia dar errado?

Deixe de ser o arauto e o eco da desgraça dos outros. Quando algo de errado acontecer com os outros, seja solidário. Na desgraça dos outros, tenha compaixão.

Compaixão – sentir você mesmo a dor do outro e desejar que ela cesse.

Quando a desgraça acontecer, o  “eu não disse”  não vai ajudar em nada.

Estenda a mão. Ajude o outro a encontrar uma solução.

Muitas vezes estar junto, dar o ombro amigo, ouvir um pouco já é muita coisa.

O “eu não disse” é o companheiro do “sabia que não ia dar certo”, e ambos só servem para atormentar a cabeça de quem já está atordoado com os problemas.

Aquele que fica prognosticando a desgraça é também aquele que menos contribui para que o bem aconteça.

Não anuncie a desgraça:

Aquele que fica anunciando a desgraça é o que está menos pronto para ajudar e buscar uma solução.

Procure olhar o problema do ponto de vista de alguém que está de fora, com uma atitude construtiva e positiva, e quem sabe a solução aparece de repente.

Se coloque no lugar do outro, e saiba que aquele que está no olho do furacão pode não estar em condições plenas de resolver os problemas presentes.

Relembre as ocasiões em que foi ajudado, e rememore o conforto que foi ter alguém nos momentos de penúria.

Quando o problema envolve a dor e o sofrimento, ajude com muito tato, sem intromissão na vida do outro e sem querer controlar ou mesmo interpretar o que o outro está sentindo.

Quem quer o bem, ajuda, orienta, dá boas sugestões.

Quem quer ajudar, estende a mão, é solidário, busca soluções, sem criticar ou condenar.

Não esteja do lado do problema. Esteja do lado da solução.                                                                                 Rubens Sakay(Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta