Erramos para não errar

Erramos para não errar

Cometemos erros para não cometê-los.

Pode parecer estranho, mas temos que cometer erros para aprender a não cometê-los.

Toda vez que você errar, não fique deprimido. Encare como uma coisa natural, como uma aprendizagem. Afinal, a vida é um processo de melhoria contínua de nós mesmos.

A maioria dos erros pode ser reparada. Podemos voltar atrás numa decisão.

Se você magoou alguém, pode sempre se desculpar.

Livre-se do medo de agir com medo de errar. O erro é parte da sua natureza. Quem nunca erra também nada aprende.

Aprendizagem:

Aprenda a assumir as falhas e seus desdobramentos como uma oportunidade para não errar novamente.

Afaste a busca inútil pela perfeição e estará afastando a culpa e a vergonha por não tê-la atingido.

Deixe a humildade falar mais que o ego. Deixe a serenidade falar mais que a inquietação.

Dizem que o fracasso não está em errar, mas ficar paralisado pelo erro.

Quando imaginamos que não podemos errar de jeito nenhum, estamos nos entregando ao medo e muitas vezes à estagnação. O medo pode nos paralizar, e para isso, devemos encarar os erros com serenidade, como algo a que estamos sujeitos todos nós.

Errar é humano, afinal de contas. Temos que aprender a lição, e olhar mais onde tropeçou, e menos onde caiu. Não precisa maldizer e é inútil sair culpando a tudo e a todos. Não devemos nos culpar por tentar, e temos que valorizar o nosso esforço mesmo que o resultado seja deficiente.

Nem sempre acertamos, e não conseguimos prever todas as situações.

Não fazemos tudo sozinhos, dependemos dos outros, e na maioria dos casos é mesmo um trabalho de equipe.

Fazemos o nosso melhor, e se erramos, é para não errar novamente.                                                                                                                                  Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta