É seguro ser eu mesmo.

Ser eu mesmo soa como uma frase evidente e tola, mas no fundo não é assim tão simples.

Ser eu mesmo significa fazer o que eu gosto, ser quem eu desejo ser.

Será que eu sei exatamente o que gosto?

Será que sei exatamente o que quero ser?

Esteira hedônica:

O nosso cotidiano nos coloca em tantos papéis forçados, que não raro, nos esquecemos do que realmente gostamos.

A sociedade, a esteira hedônica, os amigos, as comparações – tudo nos coloca num caminho cheio de insegurança se somos nós mesmos.

É bom caminhar com segurança.

É confortável quando caminhamos com o olhar altivo, enxergando as barreiras na real dimensão.

Aceitar o passado com serenidade e encarar o futuro com confiança ajuda muito a nos dar segurança na caminhada. Enfim, sabemos de onde viemos e para onde vamos.

Quando aceitamos as agruras do passado, é como tais circunstâncias não nos assombrassem mais. Não as esquecemos, mas elas perdem o poder de nos atormentar.

Algemas:

Funciona como se nos livrássemos das algemas, para sermos nós mesmos.

Os grilhões que prendem os nossos pés são libertados através do perdão. Pratique o perdão para se libertar.

Elimine também um montão de coisas que não tem nada a ver contigo. Acabamos nos metendo em tanta coisa, impulsionados pela onda, pela conversa dos amigos, e coisas que não tem nada a ver conosco.

Esqueça um pouco a opinião dos outros – siga os seus instintos – as suas preferências.

Aprecie bastante as coisas que você faz, especialmente aquelas que são do seu gosto.

Fique bem consigo mesmo, e caminhe com segurança nessa jornada.

Beco

4 Comentários

Jessica

about 6 anos ago

Eu era mais assim, me importava demais com o que os outros pensavam, hoje em dia, não tanto, tento procurar fazer as coisas que eu gosto, que me deixam feliz, se eu parecer louca por causa disso, então que seja, é muito bom sermos fiéis a nós mesmo, e ver o qeu realmente importante, assim seguiremos mais felizes .

Responder

Jessica

about 6 anos ago

que*

Responder

Ingrid

about 5 anos ago

Estou nesta jornada de encontro comigo próprio, antes tinha mania de me comparar com outros, e sempre me achava inferior, ficava com raiva de tudo em mim, por não ser tão bonita como as outras, até mesmo minhas coisas nunca eram suficiente e bonita tanto quanto a dos outros... isso só me fazia mal, mas eu não percebia isso, fazia tudo com medo da opinião dos outros, era tímida, fazia coisas que não gostava só para fazer parte de um certo grupinho de garotas na escola.... era instável, um dia gostava de uma coisa, no outro já odiava aquilo e me culpava por ter gostado.. nossa, só sei que foi uma grande mudança no meu eu interior, é como o texto diz, me libertei das algemas que me impediam de viver do jeito que queria.... é realmente mágico quando nos descobrimos de verdade.. =) Ingrid

Responder

calisto

about 5 anos ago

seja o que acreditas ser e respeite as crenças dos outros que o mundo será reflexo de felicidade.

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta