E o dever de casa? Já fez?

Quando garotos de colégio, aprendemos a duras penas que se não fizermos o dever de casa, não vamos aprender a lição e não vamos passar de ano.

Adultos, às vezes nos esquecemos de fazer o dever de casa.

Queremos que coisas fantásticas aconteçam conosco e não fazemos a nossa parte.

Há um ditado árabe que diz: na tempestade, reze para Alá e amarre os camelos.

Fé:

Temos que acreditar numa Força Superior para nos guiar nas tempestades, mas temos que fazer a nossa parte.

Fazer o que tem que ser feito é uma tarefa atrás da outra, todos os dias, o ano inteiro. Não devemos fazer corpo mole.

É também uma questão de atitude, você mesmo é capaz de imaginar pessoas que ficam reclamando de tudo e de todos, enquanto criam uma expectativa enorme de que as coisas irão se resolver, sem mover uma palha, sem mover um músculo.

Se em algum setor da sua vida você já se imaginou assim, pense em mudar a sua atitude.

Faça o dever de casa:

Escreva sobre os principais objetivos que está perseguindo.

Relacione os condicionantes para que tais objetivos sejam alcançados.

Enumere as barreiras que precisam ser transpostas, e mais importante, para cada barreira, descreva a sua responsabilidade nisso.

Se ficou claro que as coisas não caem do céu, e que você tem parte importante nisso, elabore um plano de ação para isso.

Um plano de ação necessariamente contém o que fazer, quando fazer, como fazer, e com quem contar.

Ao executar tal plano de ação, e ao concluir cada etapa e cada ação, você pode estar certo de que o dever de casa foi concluído.

As coisas podem não acontecer, mas você pode ficar tranquilo, pois fez a sua parte.

E quando os resultados aparecerem, você vai se sentir gratificado, recompensado e valorizado.

A realização é importante pois sentimentos que a vida faz sentido.

Fazemos por onde, e somos recompensados.

Damos tudo e fazemos bem feito, e os resultados são proporcionalmente animadores.

Fazer o dever de casa é uma lição que aprendemos quando garoto, mas temos o péssimo costume de esquecer.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta