É fácil se fazer de vítima.

É fácil se fazer de vítima. É muito fácil dar uma de coitadinho.

Muita coisa pra fazer, e parece que só nós é que trabalhamos.

Muita coisa para se preocupar e parece que só nós é que nos importamos.

Muita coisa errada, e parece que acontece só com a gente.

Porque acontece comigo?

Com tanta gente para acontecer o azar, porque comigo?

Parece que fui premiado com todas as dificuldades.

Nos sentimos por baixo, somos inundados por pensamentos negativos e ficamos prisioneiros dos próprios pensamentos.

Silencie a mente e veja as grades dessa prisão se desfazer.

Aceitação:

Isso passa principalmente pela aceitação da vida como ela é.

Quando não aceitamos, quando queremos só o que for perfeito, ficamos indefinidamente resmungando pelo que não aconteceu, e também pelo que aconteceu.

É vida é feita de altos e baixos, e devemos aceitar isso.

Se fazer de vítima é uma questão mental, e deve ser trabalhada.

Recuse a ajuda que outras pessoas te prestam com o tom de te colocar como vítima.

Coitadinho – deixe eu te ajudar.

Pobrezinho – quero compartilhar contigo.

Que infeliz – quero te dar um conselho.

Recuse o papel de vítima:

Muitas vezes, um comportamento paternalista impõe e estimula o outro a fazer papel de vítima.

Recusar o papel de vítima é estar seguro de si e confiante da sua capacidade e empenho.

Quando digo para mim – fiz o meu melhor – estou recusando o papel de vítima.

Quando penso – isso pode acontecer com qualquer um – estou recusando o papel de vítima.

Não se coloque na posição de derrotado.

Rubens Sakay (Beco)

4 Comentários

Helinho

about 6 anos ago

Bom texto.

Responder

Brunna

about 6 anos ago

também gostei.

Responder

raquel

about 5 anos ago

Lindo teu blog,está na minha lista de favoritas,quando tenho necessidade de palavras de conforto é aqui que encontro.Obrigado!

Responder

Vitor Alencar

about 5 anos ago

Não se coloque na posição de derrotado.

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta