Diminua a preocupação.

Nada disso vai acontecer.

Pare de pensar o pior.

Diminua a preocupação para poder viver melhor.

E se eu perder o emprego?

E se meus filhos adoecerem?

Se o meu casamento entrar em reta de colisão?

A primeira coisa a fazer quando a preocupação estiver excessiva, é fazer um exame sobre a causa para tanto estresse.

É possível que haja alguma coisa catalisando esse estado de constante preocupação. Alguma coisa que esteja contaminando tudo na sua mente.

Se você for capaz de identificar, coloque tal problema em evidência e procure isolá-lo do resto da sua vida. Mantenha-o circunscrito ao seu real território. Não deixe que um problema do trabalho contamine o seu relacionamento familiar e assim por diante.

Procure a causa do problema, e verifique se há algo que você possa fazer.

Verifique se não é um problema de outra pessoa e você está assumindo o que não é da sua conta.

Caso você não consiga identificar, não desanime, busque a paz nas seguintes áreas da sua vida.

Física: procure se exercitar com regularidade, cuide de sua alimentação e respeite os horários de repouso. Procure dormir bem.

Emocional: esteja bem com os seus entes queridos, se aproxime dos seus amigos. Escreva para eles, telefone, mantenha contato. Se conecte consigo mesmo. Tente um pouco de meditação.

Espiritual: para alguns pode ser fácil, para outros uma tarefa difícil, mas é bom acreditar que não estamos sós nessa nossa labuta. Olhe sempre para cima, peça e espere por uma luz.

Mental: procure um espaço do seu dia onde a serenidade pode tomar lugar, deixe a turbulência se dissipar. Trabalhe esse ruído interno, esse diálogo interno negativo.

Faça o que for possível, na sua velocidade, um dia de cada vez.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta